Quem não acompanhou em detalhes a derrota do Coritiba para o Botafogo por 4×1 poderia afirmar, sem titubear, que o Coxa voltou a demonstrar lapsos de desorganizações severas expostas em seus piores momentos do ano. Porém, o que se viu no Rio de Janeiro foi um time aguerrido frente à melhor equipe do campeonato que, se não sair dos trilhos, conquistará um histórico título com todos os méritos. Mesmo atrapalhado por uma arbitragem confusa, o Coxa voltou à capital com boas notícias mesmo que, na bagagem, tenha trazido mais uma goleada sofrida no torneio.

A primeira boa notícia se dá pela escalação escolhida pelo promissor Thiago Kosloski. O time que atuou contra o Botafogo, pelo menos em seu início, foi o mesmo que venceu o Fluminense por 2 x 0 com uma bela atuação. Isso pode ser a prova perfeita que, apenas ao fim do sétimo mês do ano, o Coxa, enfim, achou aquele time considerado ideal para o momento. E vem após dois fracos trabalhos de treinadores polêmicos, mudança radical de gestão e trocas constantes no elenco que, em muitos momentos, aparecia como desconfigurado e desorganizado. Um prato cheio para os antigos rivais.

Coritiba mostra poder de reação

A segunda notícia animadora se dá pelo poder de reação do clube, algo que praticamente inexistiu com os antigos “Antonios”. Mesmo sofrendo um gol aos dois minutos, o Coritiba adotou uma postura agressiva, apostando na pressão pós-perda e contra-ataques rápidos. Foi assim que saiu o golaço de Bruno Gomes, apenas cinco minutos depois do belo tento anotado por Gustavo Sauer. E o Coritiba, contrariando todas as expectativas, deu dificuldade e calor ao líder em determinado momento do primeiro tempo. Algo raríssimo e dificílimo de se fazer em jogos contra o Botafogo no Nilton Santos (onde, inclusive, o time tem 100% de aproveitamento).

A pausa nas boas notícias de um domingo se desenhava promissor se dá pelo trabalho da arbitragem do jovem paulista João Gobbi. Com decisões confusas, ele não passou no teste apresentado no estádio Nilton Santos. Ao anular o gol de Robson graças ao auxílio do VAR (que viu falta de Diogo Batista no início da jogada), Gobbi desconcentrou os atletas do clube que logo viram o clube carioca marcar mais dois gols. Mesmo que no de Tiquinho haja uma discussão sobre uma suposta falta em Bruno Gomes no início da jogada, fato é que o Coritiba teve muita dificuldade de voltar ao jogo depois disso. Tanto é que, já no 2º tempo, sofreu o quarto gol.

Kosloski é efetivado no cargo

Mesmo que a arbitragem tenha dado um impacto negativo ao desempenho e ao resultado para o Coritiba, o domingo terminou com a terceira e última boa notícia. Thiago Kosloski aproveitou a entrevista coletiva para confirmar que é o novo treinador do clube. O contrato, válido até 31 de dezembro de 2024, é um acerto gigantesco da diretoria do clube que entendeu e viu a notória melhora de desempenho da instituição neste período.

Thiago conhece bem a casa e, com ele, o Coritiba se mostrou ao Campeonato Brasileiro. A derrota para o líder e eventual futuro campeão não pode jogar seu trabalho, de reconstrução e em estágio inicial, no buraco. O Coxa tem time e está jogando um futebol que lhe permite sonhar com a permanência na elite.

Coritiba competiu bem com o líder Botafogo.
Alviverde pode tirar boas lições do resultado. Foto: Gabriel Thá/Coritiba

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Coritiba tem boas notícias em meio à goleada e arbitragem ruim

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.