A 1ª comissão disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) definiu as punições contra Coritiba e Cruzeiro pelo episódio de pancadaria entre as torcidas no jogo do Campeonato Brasileiro. O Coxa perdeu quatro mandos de campo, além de uma multa total de R$44 mil. Entretanto, as partidas já cumpridas nesta reta final de Brasileirão, tanto em casa quanto como visitante, valem para a pena e serão deduzidas.

O Coritiba continuará cumprindo a pena no jogo contra o Corinthians, nesta quarta-feira (06), no Couto Pereira. Portanto, como já mandou três jogos sem torcida nesta Série A, o Alviverde poderá receber público desde o início da Série B de 2024. As perdas de mando e a multa de R$40 mil foram impostas devido à invasão da torcida ao gramado da Vila Capanema. Já por ter arremessado copos em campo, o Coxa terá que arcar com R$4 mil.

Cruzeiro leva punição semelhante ao Coritiba

O Cruzeiro, por sua vez, também foi punido com quatro jogos sem torcida e recebeu uma multa maior, de R$50 mil, pelo fato dos torcedores terem iniciado a confusão. A pedido do clube, a pena será cumprida apenas em 2024. A Raposa também foi multada em R$ 1,4 mil por atrasar para subir ao campo de jogo no primeiro tempo e também na volta do intervalo.

Por ter sido o responsável pela segurança da partida na Vila Capanema, o Coritiba respondeu a denúncia no artigo 213 no Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Ele trata de “deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir” invasões de campo, desordens e lançamento de objetos no gramado. O Alviverde corria o risco de perda de até 20 mandos de campo, assim como o Cruzeiro.

O relator do julgamento, Ramon Rocha Santos, foi quem sugeriu a punição de quatro jogos, justificando que o episódio foi grave, mas que os clubes foram “eficazes” nas medidas após o ocorrido. “A gravidade é maior, analisando as imagens, em comparação com os precedentes. Por outro lado, as medidas foram mais eficazes, pelo que consta nos autos. Meu voto é pela aplicação de quatro partidas de suspensão para cada um dos clubes”, explicou o relator.

Os clubes ainda devem recorrer ao Pleno do STJD, que julgará o caso em segunda instância. Portanto, existe a possibilidade de redução das penas.

O caso Coritiba x Cruzeiro e os desdobramentos

A briga aconteceu depois do gol da vitória do Coritiba sobre o Cruzeiro, marcado por Robson aos 45 minutos do segundo tempo. Imediatamente após o lance a torcida organizada do time mineiro invadiu o gramado da Vila Capanema, dirigindo-se diretamente para a Reta do Relógio, onde estava a organizada alviverde, que também entrou no campo. Até a intervenção do batalhão de choque da Polícia Militar, as duas facções se enfrentaram diretamente, pois o número de seguranças contratados pelo Coxa, organizador da partida, era muito pequeno.

No dia 22 de novembro, a Polícia Civil indiciou 15 torcedores do Coritiba pela briga na Vila Capanema, entre eles reincidentes. Eles se apresentaram à Delegacia Móvel de Futebol e Eventos (Demafe) rapidamente para prestar esclarecimentos. Entretanto, a pena deve ser branda. Todos foram indiciados pelo crime de rixa e tumulto e podem ficar detidos por um período de 15 a 60 dias, dependendo do entendimento do juiz, mais multa.

Briga entre torcedores de Coritiba e Cruzeiro na Vila Capanema
Invasão de campo custou punição aos clubes. Foto: Robson Mafra/Estadão Conteúdo

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Coritiba x Cruzeiro: STJD define punições da briga entre torcidas

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.