O Coritiba – e seu torcedor – aguardam ansiosamente a sequência de partidas em casa na Série B do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (29), às 16h, o Coxa recebe o Vila Nova, e no domingo da outra semana, 7 de julho (domingo), às 11h, o adversário será o Paysandu. Com um ótimo rendimento em casa, a confiança aumenta. Mas o drama alviverde longe do Couto Pereira não é apenas motivo de revolta, e sim de grande preocupação.

Nos últimos dez anos, o rendimento do Coritiba fora de casa em campeonatos brasileiros é baixo (veja números ao final da matéria). Teve campanhas terríveis, como a do Brasileirão de 2022, quando somou apenas 8,77% dos pontos disputados. E nesta Série B, até agora o rendimento é de apenas 16,67% – são três pontos em 18 jogados. Para piorar, são três empates, o que não ajuda muito em uma competição que tem o número de vitórias como primeiro critério de desempate.

Os únicos anos em que o Coritiba conseguiu somar mais de 33% (um terço) dos pontos fora de casa foram 2019 e 2021. Não à toa, os anos dos dois mais recentes acessos do Coxa para a primeira divisão. Nas duas temporadas o aproveitamento foi de 45,61% – ou seja, 26 pontos em 57. Só que para chegar até um número semelhante, o time de Fábio Matias teria que conquistar 23 pontos em 39 ainda a serem jogados longe do Couto Pereira.

Mas qual o aproveitamento mínimo que o Coritiba tem que atingir?

Nas últimas dez edições completas da Série B do Campeonato Brasileiro (de 2014 a 2023), apenas um time subiu com aproveitamento menor que 33% fora de casa. Foi o Bahia, em 2016, que somou apenas 28,07% dos pontos (16 em 57). Os outros 39 acessos do período – incluindo os dois do Coritiba – foram conquistados garantindo no mínimo um terço dos pontos (19 de 57) longe de seus domínios. Ano passado, o pior aproveitamento dos times que subiram foi do Criciúma, com 36,84%.

No final das contas, portanto, o Coritiba precisa dobrar seu aproveitamento fora de casa. Para isso, tem que marcar 16 pontos em 39 possíveis a partir de agora. A próxima partida longe do Couto Pereira será no dia 13 de julho, um sábado, contra o CRB, em Maceió. Até lá, o Coxa vai tentar garantir em casa o rendimento que tem, e que o mantém na briga pelo acesso mesmo somando pouquíssimos pontos quando sai de Curitiba.

Aproveitamento do Coxa fora de casa

2024 – Série B – 16,67%
2023 – Série A – 24,56%
2022 – Serie A – 8,77%
2021 – Série B – 45,61%
2020 – Série A – 22,81%
2019 – Série B – 45,61%
2018 – Série B – 24,56%
2017 – Série A – 29,82%
2016 – Série A – 21,05%
2015 – Série A – 31,57%

Matheus Frizzo, meia do Coritiba.
Matheus Frizzo na partida diante do Amazonas. Ele também teve uma fraca atuação. Foto: JP Pacheco/CFC

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Para subir, Coritiba terá que dobrar aproveitamento fora de casa

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.