Impeachment de Samir Namur será votado pelos sócios (Geraldo Bubniak/AGB)

A mesa diretora do Conselho Deliberativo do Coritiba aceitou o pedido assinado por 87 conselheiros e votará a destituição do presidente Samir Namur através de uma assembleia geral. A primeira reunião acontecerá na próxima segunda-feira (26), mas definição deverá acontecer somente no início de 2019.

A convocação foi assinada por Marcelo Licheski, presidente do Deliberativo alviverde. Com isso, o futuro do dirigente no clube fica nas mãos dos sócios. O encontro irá debater e definir os procedimentos para a realização da Assembleia, que deverá ser marcada para janeiro.

Sem nenhuma prática ilegal cometida por Samir, o pedido dos conselheiros é baseado no Estatuto do Clube, que prevê as Assembleias Gerais com poder absoluto sobre os conselhos administrativo e gestor do Coritiba. A solicitação é apenas pela saída de Namur. Com isso, se o impeachment concretizar, quem assume a presidência é o primeiro vice-presidente, Paulo Baggio, tendo a manutenção do restante do G5, que ainda conta com Jorge Durão, Eduardo Bastos de Barros e Aníbal Mesquita Júnior.

Caso os integrantes do G5 optem por renunciar aos respectivos cargos em solidariedade ao presidente, cabe ao Conselho Deliberativo convocar novo pleito para definir a nova diretoria. Enquanto isso, Marcelo Licheski comandaria provisoriamente o clube.

Confira a carta de convocação do Conselho Deliberativo: