Júlio Sérgio promoveu mudanças na equipe e veio com três zagueiros para o confronto com o Goiás. (Geraldo Bubniak/AGB)

Derrotado pelo Goiás por 2 a 1, o Coritiba mantém os 21 pontos e segue na lanterna da competição. Com a situação complicada, o Alviverde está a sete pontos para sair da zona de rebaixamento da Série A, mas pode chegar a dez caso o Vasco vença o confronto com o Atlético Goianiense, nesta quinta-feira (7). Sobre o resultado, que não era esperado neste confronto direto, o treinador interino, Júlio Sérgio analisou que os erros foram o principal problema.

“Acho que nós tivemos uma posse de bola, jogamos contra uma equipe que também tem jogadores com nível da Série A, criamos chances antes do Goiás poderíamos ter aberto o placar no primeiro tempo. Mas não é que fomos massacrados, pelo contrário, uma equipe que propõe o jogo como a gente tentou propor, obviamente que vai dar alguma coisa para o seu adversário, mas era um risco calculado. Só que tomamos um gol de bola parada, foi um jogo onde nós poderíamos ter saído na frente e o detalhe da bola parada foi fundamental hoje”, analisou.

Sobre a mudança de postura do Coritiba e a escolha pelo esquema tático mais defensivo, com três zagueiros, ele destacou que não foi uma invenção e sim uma oportunidade para suprir a ausência de peças no elenco.

“Ao contrário que todo mundo pensa, os três zagueiros foi criado para que nós tenhamos uma saída de jogo mais apoiado. Nós perdemos um jogador machucado, um dos volantes, e a gente tinha que escalar um time competitivo. Acho que abrimos os espaços que a gente queria, conseguimos criar e ficamos com a bola, mas acabamos tomando o gol em uma bola parada. Logo depois, a gente toma o segundo gol, de novo em uma bola espirrada. A gente tentou de alguma forma, mexer na equipe, deixar ela mais ofensiva, tivemos posse de bola, mas não fomos tão eficazes”, pontuou.

Sobre as chances de escapar do rebaixamento, com o elenco que possuí, Júlio Sérgio destacou que “aqui tem um grupo de jogadores que são homens, isso eu posso afirmar. Ninguém mais do que eles estão sentindo a dificuldade neste momento, eles querem muito sair desta situação, como todos nós, como todos os torcedores e aqueles que são envolvidos diretamente com o futebol do Coritiba. A motivação vem deles mesmo, a gente tem que dar uma carga, com motivação e isso está sendo feito. Houve muitas mudanças dentro do Coritiba em poucos dias e tenho certeza que vai surtir efeito”, concluiu.

O próximo desafio do Coritiba é o clássico com o Athletico, neste sábado (9), às 19h, no Couto Pereira, em partida válida pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Furacão busca a Libertadores e vem embalado com três vitórias seguidas, já o Verdão vai ter que buscar o resultado em casa para tentar evitar o rebaixamento para a Série B.