Como esperado, o Athletico terá uma aclamação na eleição do dia 8 de dezembro. A notícia, dada pela Banda B na última quinta-feira (23), confirmou-se com a inscrição de uma única chapa. O grupo liderado por Mário Celso Petraglia tem agora novo nome – “Athletico do Futuro”, como anunciado pelo próprio presidente em carta divulgada nesta quarta (30) no site oficial do clube. O dirigente parte, portanto, para liderar o Furacão por 32 anos.

No texto (leia a íntegra abaixo), Petraglia fala claramente em investimentos no futebol. “O Athletico está sim em condições de montar um grande time para jogar no ano do nosso Centenário“, diz o presidente. Nas entrelinhas, acaba confirmando a informação que já circulava nos bastidores do Furacão. O ano de 2024 deverá ser o de maior investimento em futebol na história do clube. O interesse no técnico Gustavo Alfaro, ex-Boca Juniors, demonstra uma virada de chave.

Mas, para o presidente do Athletico, o grande fato foi que “para minha alegria, os atleticanos se reuniram todos para formar uma chapa de união“, como diz a nota. Ele confirmou os cinco nomes que o acompanharão na diretoria. Ennio Fornea Júnior e Ademir Adur foram os grandes parceiros de Petraglia nos primeiros anos da transformação do clube. Henrique Gaede foi o adversário do último bate-chapa, em 2015. E o empresário Luiz Alberto Kuster e o advogado José Lúcio Glomb são as ‘novidades’. “Enfim, é a hora de construirmos, todos juntos, o Athletico do Futuro”, completou o cartola.

Momento histórico no Athletico

A recomposição na diretoria pode ser considerada histórica no Athletico. Após romper com Ennio Fornea e Ademir Adur, em 2002, Mário Celso Petraglia se afastou por completo dos ex-companheiros. Neste ano, emissários que tentaram reaproximar os três esbarraram na falta de um primeiro passo. Entretanto, a ação discreta de Renato Adur, irmão de Ademir e fundamental na costura do acordo para o pagamento da dívida da Arena da Baixada, enfim eliminou mágoas mútuas. Ademir, Ennio e Petraglia voltaram a se falar apenas nas últimas semanas.

Completa essa articulação o advogado Henrique Gaede. Adversário na eleição de 2015, ele era um dos principais líderes da “Atlético de Novo”, de oposição a Petraglia. Quando da divulgação da nota oficial do grupo, na sexta (24), o presidente do Athletico chegou a chamar os integrantes de “aventureiros”. Mas a ação de personagens independentes (nem a favor do cartola, nem contra) acabou levando Gaede à chapa da situação.

Leia na íntegra a carta de Mário Celso Petraglia

Dediquei e continuarei dedicando os melhores anos da minha vida à construção de um Athletico Gigante. Agora é a hora de construirmos, todos juntos, o Athletico do Futuro. Vivemos nosso melhor momento.

Como mencionei anteontem (27) em minha entrevista coletiva, nunca estivemos tão bem resolvidos nas questões administrativas e financeiras do clube. Desde a Copa do Mundo, em razão do descumprimento do acordo tripartite pelos entes públicos, vivíamos com uma espada sobre a nossa cabeça: a ameaça de uma dívida que chegou a mais de R$ 1,2 bilhão e colocava em risco todo o patrimônio do Athletico. Esse tema foi agora definitivamente resolvido. O acordo mostrou que sempre tivemos razão. A dívida ficou reduzida à parte que, de fato, é devida pelo clube e já está equacionada. Vamos pagá-la com o valor do naming rights. O contrato com a Ligga revela que o estádio agora está entregando todo seu potencial econômico, como se constata com a venda integral de cadeiras e camarotes. E o complexo da Arena ainda vai entregar muito mais, como vamos anunciar em breve.

Ao mesmo tempo, depois de uma luta do Athletico de décadas – não raro, uma luta solitária –, conseguimos criar uma liga para cuidar dos interesses dos clubes sem qualquer controle da CBF. É a Liga Forte União – que vai nos entregar R$ 200 milhões em pouco mais de dois anos. Os primeiros R$ 100 milhões já estão na conta do clube. A propósito, o Athletico terá esse ano o maior faturamento de sua história.

Futebol

E o futebol? Não posso deixar de registrar aqui o que mencionei na entrevista. Apesar da ameaça da dívida do tripartite – agora resolvida –, o Athletico teve ótimos resultados nos últimos anos. Fomos bicampeões da Sul-Americana, campeões da Copa do Brasil, tricampeões do Paranaense e, no ano passado, vice-campeões da Libertadores. Aliás, de 2017 para cá foram cinco participações na Libertadores em sete anos. Não é pouca coisa, é necessário reconhecer. E tudo isso, para insistir, sem poder investir todo o necessário em razão da ameaça do tripartite – afastada em definitivo.

Devo registrar que os mais novos não fazem ideia do que era o Athletico antes dessa transformação. Um clube sem estádio, sem CT, brigando por títulos menores e se equilibrando para ficar na primeira divisão. Agora temos o melhor estádio, o melhor CT, acumulamos títulos importantes, modernizamos o clube, criamos uma das valiosas marcas do esporte brasileiro e uma condição econômico-financeira invejada por todos os times. Uma transformação sem precedentes.

A chapa

Agora é pensar no Athletico do Futuro. E esse Athletico passa pela criação da nossa SAF, já aprovada em assembleia de sócios. Teremos o melhor modelo de SAF do Brasil, não tenho nenhuma dúvida. Nenhum clube tem as condições do Athletico. Com isso, vamos criar o contexto necessário para disputar, com mais chances, os títulos mais importantes do futebol brasileiro e internacional. A profissionalização é o último passo para o Athletico do Futuro.

Independentemente da SAF, o Athletico está sim em condições de montar um grande time para jogar no ano do nosso Centenário. Como eu disse no começo, vivemos nosso melhor momento. E nesse momento, para minha alegria, os athleticanos se reuniram todos para formar uma chapa de união. Voltam ao clube para compor a chapa nomes importantes, como Ademir Adur, Enio Fornea e Henrique Gaede. São pessoas que me ajudaram a construir essa história. Também temos agora athleticanos conhecidos e reconhecidos que vão nos ajudar nesses novos desafios, como Luiz Alberto Kuster e José Lúcio Glomb. Enfim, é a hora de construirmos, todos juntos, o Athletico do Futuro, com ambição, entusiasmo, rebeldia e inovação, os princípios dos 4 ventos do Furacão. Vivemos nosso melhor momento; colheremos nossos melhores resultados.

Mário Celso Petraglia, presidente do Athletico.
Petraglia se reaproximou de Ademir Adur e Ennio Fornea. Foto: Ernani Ogata/Código19

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Athletico: Petraglia confirma antigos aliados voltando ao clube

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.