Eduardo Barroca. (Felipe Dalke/Banda B)

A eliminação para o Manaus não estava nos planos do Coritiba no início da temporada. Passada a derrota na Arena Amazônia, o foco da equipe volta para o Campeonato Paranaense. Por isso, o técnico Eduardo Barroca projeta força máxima para os próximos jogos.

“O nosso planejamento de primeira etapa funcionava até o jogo com o Manaus. Nós tentamos equilibrar carga, estendemos mais o processo de preparação. Agora, não tendo dois torneios concomitantes, vamos trabalhar com força máxima sempre e as melhores opções que tivermos para conquistar os melhores resultados”, declarou Barroca, em entrevista direto de Foz do Iguaçu.

O treinador admitiu a tristeza pela queda precoce na Copa do Brasil e afirmou que a resposta só virá com o trabalho dentro de campo. “Primeira coisa que acontece é o nosso sentimento. Todo mundo ficou muito sentido com a eliminação porque a gente se planejou muito para chegar no jogo na melhor forma e atingir o objetivo. Ficamos bastante tristes, conversamos e agora neste momento não vai ser o que vamos falar que vai resolver problema, mas nossa atitude e como vamos jogar. Temos que compensar o que aconteceu na quarta-feira com bons resultados e boas atuações. Nós iniciamos o ano de uma maneira muito boa, mas não atingimos o objetivos em um jogo eliminatório”, comentou.

Barroca também falou que o time coxa-branca precisa tirar benefício de não jogar mais durante a semana. “Temos que ter o equilíbrio para entender tudo aquilo que está andando muito bem e fazer os ajustes necessários para melhorar aquilo que não está andando tão bem. A gente tem jogado sempre muito bem. No último jogo, mesmo sem jogar no nível que vinha jogando, criou as melhores chances, mas não teve a competência em transformar em resultado. A gente precisa ter serenidade agora, tem uma temporada volumosa pela frente, compromissos pelo Campeonato Paranaense. Tem que tirar benefício em não jogar mais no meio de semana para treinar mais e criar os padrões de excelência da equipe”, disse.