A derrota para o Grêmio foi a oitava no campeonato, equipe que mais perdeu na Série A (Geraldo Bubniak/AGB)

Se a atuação diante do São Paulo foi muito questionada, os primeiros dez minutos de partida contra o Grêmio foram determinantes para mais uma derrota do Coritiba na Série A. Com 2 a 0 no placar e com 10 minutos de jogo, Jorginho teve que abrir mão do esquema com dois laterais e o jovem Guilherme Biro, improvisado deixou a partida com menos de 20 minutos de jogo. Na preleção, o técnico alertou para os riscos que a equipe gaúcha oferecia.

“Eu havia alertado os atletas que a equipe do Grêmio é extremamente agressiva nos primeiros minutos da partida e que teríamos que ter todo o cuidado para não fossemos surpreendidos. Infelizmente sofremos os gols muito rápido e isso atrapalhou muito o nosso planejamento, a ponto de ter que fazer uma substituição ainda no primeiro tempo. Eu não gosto de fazer isso, mas eu precisava fazer isso e, se eu não tiro o Guilherme Biro, não conseguiria organizar a equipe. Tivemos a infelicidade de ter um gol anulado e a possibilidade de um pênalti no Robson, já na segunda etapa, infelizmente não conseguimos empatar a partida”, avaliou Jorginho, em entrevista coletiva após a partida.

Na volta para o segundo tempo, Jorginho utilizou alguns jogadores que não atuaram diante do São Paulo, entre eles, Giovanni Augusto, Yan Sasse, Nathan SIlva. Com placar adverso, o treinador resolveu arriscar um pouco mais e quase foi premiado com o empate. “Perdendo por 2 a 0, tínhamos que nos expor ainda mais, a ideia era que a nossa equipe fosse mais ofensiva e arriscasse mais e foi o que aconteceu. Descontamos com o Nathan Silva e por pouco não conseguimos o empate”. disse.

Sobre Ricardo Oliveira, o técnico acredita que o atacante possa estar entre os relacionados para o jogo diante do Fortaleza. “Um jogador que não pisa num gramado desde março, não é tão simples assim colocar o atleta para treinar quatro, cinco dias e trazê-lo para cá. Sabemos o tamanho da presença dele no grupo, não queríamos expor ele ao risco de uma lesão. Achamos melhor ele ficar em Curitiba, treinando no CT, para que no próximo jogo, quem sabe, esteja no banco de reservas no próximo jogo”, comentou de maneira otimista.

Com apenas 12 pontos, o Coritiba segue na zona de rebaixamento. O Verdão volta a campo, no próximo sábado (10), ás 19h, diante do Fortaleza, no Couto Pereira.