Rui Costa protestou contra a CBF. (Monique Vilela/Banda B)

O diretor do Atlético, Rui Costa, atacou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pela escalação do árbitro Rodrigo D’Alonso Ferreira e seus assistentes na derrota para o Internacional por 2 a 1. Para o dirigente, a entidade não deixará o Furacão conquistar uma vaga na Libertadores via Campeonato Brasileiro.

“O quarto árbitro não sabia como se posicionar na hora da mudança. Ele perguntou duas vezes para o assistente quem era o número 15. Em dois minutos decide a vida de um clube. O técnico foi reclamar e foi expulso por ele. Nós temos que focar muito em sermos campeões da Sul-Americana. No Campeonato Brasileiro, a CBF não vai deixar o Atlético conquistar essa vaga [na Libertadores]. É muito difícil entrar no vestiário e ver um grupo que se preparou e pergunta se não vão fazer nada e se todo jogo vamos ser roubados”, reclamou o dirigente atleticano.

Rui Costa ainda acrescentou que o árbitro não tinha condições de comandar uma partida envolvendo duas equipes que estão na parte de cima da tabela. “Temos uma tecnologia que poderia resolver e a CBF tem um orçamento trilhardario  e não oferece isso para os clubes. O Atlético não é contra o VAR e não aceita essa mania de levar vantagem. Por que um jogo que valia o título para o Internacional e uma vaga na Libertadores para o Atlético tem um árbitro tão desqualificado? Isso é coisa da comissão de arbitragem da CBF. A CBF também colocou um árbitro inapto contra o Santos. Fizemos uma partida espetacular contra o Internacional e o árbitro não tem capacidade para se posicionar. Quem escolhe os árbitros para os jogos? A CBF”, desabafou.

“Eu vou ser punido e até processado, mas alguém tem que dizer. O treinador é avaliado pelo resultado da partida, os jogadores e os dirigentes também. Quanto vale uma vaga para a Libertadores? O projeto do Atlético é prejudicado por isso. Se não acontecer nada, nós vamos falar a mesma coisa no ano que vem. A CBF é o motivo para a falta de credibilidade do futebol brasileiro”, acrescentou Nunes.