Crachá do jornalista Edson Arantes. (Monique Vilela/Banda B)

O que Pelé fez com a camisa do Santos e da seleção brasileira é algo reconhecido pelos fãs de futebol em todo o mundo. Em Barranquilla, onde o Atlético está para a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Junior, um dos jornalistas colombianos, que estava no estádio Roberto Meléndez, era Edson Arantes. Ele contou que recebeu o nome como uma homenagem do pai para o “Rei do Futebol”.

Edson Arantes, jornalista colombiano. (Monique Vilela/Banda B)

“Meu pai jogou futebol e estava no primeiro título do Junior no ano de 1977, quando ganhou em Bogotá contra Santa Fé. Na verdade, é um reconhecimento para seu ídolo. Ele era um volante seu ídolo sempre foi Pelé. Meu pai também jogou com o [Julio] Comesaña, técnico do Júnior. Infelizmente, eu não pude ser jogador, mas não era ruim. Tinha condição, mas não tinha disciplina para jogar futebol porque tinha muito compromisso”, comentou Edson Arantes, em entrevista à Banda B.

O jornalista ainda contou uma situação inusitada quando as pessoas descobrem que seu nome é Edson Arantes. “É algo raro porque eu sou branco e Pelé é moreno. Quando vou em certos lugares, por exemplo, fazer um cadastro ou mostrar algum documento, as pessoas veem que é o Edson Arantes e viram [para ver se é o Pelé]”, declarou.

O que esperar do adversário do Atlético

Para o jornalista do ‘El Heraldo’, o Junior Barranquilla é uma equipe que busca o ataque, mas o Atlético terá um “descanso” com a ausência do artilheiro Téo Gutierrez. “Junior é uma equipe que tira vantagem, é agressivo e tem o Jarlan Barreira como camisa 10, o homem das ideias. Porém, podemos dizer que o Atlético terá um descanso sem a presença do Teófilo Gutierrez. Ele é um jogador do homem de referência e foi o melhor da América pelo River Plate. Mas ele tem bons substitutos e acredito que o Yony González é quem vai substitui-lo”, explicou.