Bergson tem quatro gols pelo Atlético. (Geraldo Bubniak/AGB)

O atacante Bergson viveu o seu principal momento desde que chegou ao Atlético no começo da temporada. Substituto de Pablo, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o camisa 30 marcou dois gols e ainda deu uma assistência para Rony na goleada atleticana por 4 a 0 sobre o Sport.

Para Bergson, o momento é de felicidade, mas sem acomodação para continuar buscando espaço no time titular. “O sentimento é de orgulho, felicidade e satisfação. Estou feliz por ter jogado e por ter ajudado. Dois gols dão moral, uma noite boa, mas não posso me acomodar. Tenho que continuar trabalhando e buscando meu espaço”, declarou.

O primeiro dos dois gols marcados pelo atacante foi de pênalti. A curiosidade é que o camisa 30 não estava nem entre os três nomes da lista de cobradores – Marcelo Cirino, Raphael Veiga e Lucho González. “O Marcelo pegou a bola e me deu, perguntou se eu estava bem para bater. O Veiga e o Lucho também deram força. Quero ressaltar a atitude de quem quer o bem do companheiro. Fico feliz de ter batido e retribuído em gol o que eles fizeram por mim”, explicou.

Bergson foi contratado pelo Atlético para a temporada de 2018 com a expectativa de ser o artilheiro após marcar 28 gols com a camisa do Paysandu, no ano passado. Porém, ele nunca conseguiu uma sequência de jogos e marcou apenas quatro vezes.

Assista à entrevista do atacante Bergson

Coletiva Bergson

Posted by Esporte Banda B on Sunday, October 14, 2018