Furacão está na decisão da Sul-Americana de 2018 (Dhavid Normando/Banda B)

Após passar pelo Fluminense, o Atlético segue em busca de seu primeiro título internacional na história e aguarda por Santa Fé ou Júnior Baranquilla, da Colômbia, na decisão da Sul-Americana. O Furacão teve essa oportunidade em 2005, quando disputou a final da Libertadores contra o São Paulo. Porém, em uma decisão marcada por muita polêmica, o Tricolor paulista ficou com o título.

Na ocasião, a Arena da Baixada não tinha a capacidade de 40 mil lugares e não poderia receber a final da Libertadores. Entretanto, o clube trabalhou rapidamente para instalar arquibancadas tubulares e até conseguiu o laudo do Corpo de Bombeiros com o aumento do estádio.

Só que a Conmebol não liberou a Arena da Baixada para a decisão e o Atlético teve que mandar o jogo de ida no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. Longe de sua casa, o Furacão empatou a primeira partida em 1 a 1. Já na volta, o São Paulo goleou por 4 a 0 e ficou com o título.

Agora, 13 anos depois, o Atlético tem uma nova oportunidade de conquistar um troféu na América do Sul. Para o goleiro Diego, titular na final de 2005, esse é o momento ideal. “Acredito que o Atlético possa conseguir a tão sonhada conquista internacional, que marcará o clube. Sempre acompanhei a trajetória do clube, o crescimento, a modernização do estádio. O que falta é essa conquista internacional. Espero que seja neste ano e num espaço muito curto de tempo quem sabe possa conquistar uma Libertadores, disputar um Mundial. O Atlético merece, precisa disso e, pela sua grandeza, isso já deveria ter acontecido”, declarou, em entrevista à Banda B.