Tiago Nunes explicou as mudanças na escalação do Athletico. (Monique Vilela/Banda B)

O técnico Tiago Nunes explicou que os jogadores que não viajaram para Porto Alegre não tinham condições de atuar pelo Athletico contra o Grêmio. Os laterais Jonathan e Adriano e os atacantes Nikão e Marco Ruben ficaram em Curitiba para recuperarem o condicionamento físico.

“A gente optou por uma equipe diferente em razão das lesões. Os jogadores que não vieram para Porto Alegre não tinham a mínima condição de jogar. Não pensamos em poupar e essa é uma palavra que precisa cuidar antes de falar. Isso oportunizou que alguns jogadores pudessem jogar”, explicou o treinador.

Outra mudança foi Lucas Halter na vaga de Pedro Henrique, que ficou no banco de reservas. De acordo com o comandante rubro-negro, a ideia foi dar ritmo de jogo para o jovem zagueiro que deve iniciar como titular na segunda partida da semifinal da Copa do Brasil. “Foi justamente para dar ritmo de jogo para o Lucas que deve jogar contra o Grêmio. E provável que o Robson [Bambu] jogue contra o Ceará até para jogar antes do jogo da volta”, comentou.

Mesmo com a derrota, Nunes valorizou que o Athletico começou com sete jogos que estavam na base e afirmou que os números não condizem com o resultado final. “Nós iniciamos com sete jogadores que iniciaram ou terminaram o processo de transição no clube. Seis que iniciaram e mais o Bruno Guimarães que terminou. Fizemos um jogo de igual para igual, com posse de bola equilibrada e chance de gol também. Os números não traduzem o resultado, talvez o mais justo seria o empate. Mas estou satisfeito porque crescemos de produção em relação ao jogo da outra vez com o Grêmio”, disse.

Assista trecho da entrevista do técnico Tiago Nunes