Tiago Nunes se despediu do Athletico em entrevista coletiva. (Monique Vilela/Banda B)

A passagem vitoriosa do técnico Tiago Nunes pelo Athletico terminou com uma nota oficial do clube criticando o próprio treinador pela ‘ingratidão’ após recusar a renovação de contrato para 2020. Em entrevista coletiva, ele admitiu que o tom da crítica mostrou que a melhor decisão foi tomada em optar pela saída.

“Eu já esperava uma nota daquele tom porque já aconteceram dispensas anteriores e manifestações anteriores nesse sentido. Sei que não é um sentimento dos jogadores, dos colaboradores, da comissão técnica e da maior parte dos torcedores. É um sentimento de insatisfação de quem faz a gestão do clube. Sendo uma manifestação dos gestores, vai ao encontro que tomei a decisão correta ao solicitar a minha saída. Se existia tanto rancor, sentimento de ódio, talvez não fosse o momento de permanecer e dar a continuidade”, afirmou Nunes.

O técnico ainda citou o desgaste da relação e também a busca por novos desafios como motivos para não ficar no Athletico. “Foram dois anos e meio de convivência e da maneira que o treinador do Athletico é exigido, gera desgaste e embates positivos que fazem o clube crescer. Passei por etapas importantes dentro do clube, que é sair da formação, ascender a equipe principal e marcar o nome na história do clube, e me senti completando um ciclo”, disse.

“A não permanência para 2020 passa pela busca de novos desafios, pela busca de conseguir me provar porque sou um competidor e nunca procurei a zona de conforto. Eu me senti a vontade para dizer ao presidente Petraglia que não ficaria em 2020 e coloquei à disposição dele, com o interesse para ficar até o dia 08 para colaborar na transição para o novo profissional. Ele não aceitou, mas vejo que no futebol não temos mais espaço para rivalidade entre o treinador que sai e o que chega”, acrescentou o treinador.

Outro ponto da nota oficial do Athletico foi o possível convite de Tiago Nunes para membros da comissão técnica também deixasse o clube. O técnico explicou que não fez convite a ninguém e afirmou que o próprio clube demitiu aqueles que tinham dúvida sobre a permanência. Os profissionais que deixaram o Rubro-Negro foram os auxiliares Evandro Fornari e Kelly Guimarães e o analista de desempenho Pedro Sotero.

“Como não tenho vínculo com nenhum clube, seria irresponsabilidade minha convidar qualquer integrante da comissão técnica para trabalhar em um suposto clube. O que o Athletico está tentando forçar os profissionais que ali estão a decidir se vão comigo em um futuro clube ou não, sem haver proposta alguma, deixando os caras na responsabilidade de dar uma resposta iminente. Aquele que acenar com dúvida é demitido e isso está acontecendo desde ontem”, declarou Nunes.

Assista à entrevista do técnico Tiago Nunes

Entrevista coletiva técnico Tiago Nunes

Posted by Esporte Banda B on Wednesday, November 6, 2019