Vagner Mancini. (Geraldo Bubniak/AGB)

O Athletico disputa pela segunda vez na história o título da Copa do Brasil. Em 2013, o Rubro-Negro encarou o Flamengo na final, mas ficou sem o título após empate em 1 a 1, em Curitiba, e derrota por 2 a 0, no Rio de Janeiro. Em conversa com a Banda B, Vagner Mancini, técnico do Furacão há seis anos, relembrou a decisão e admitiu que faltou abrir vantagem no jogo de ida.

“Faltou matar o primeiro jogo em Curitiba. Fizemos 1 a 0, perdemos algumas chances e sofremos o empate. Levar a vantagem para o Maracanã seria fundamental”, afirmou Mancini.

Diferentemente de 2013, o Athletico venceu o jogo de ida da final por 1 a 0 diante do Internacional e joga por um empate na volta. Para Mancini, hoje dirigente do São Paulo, a vantagem é importante, mas nada está decidido. “Ter a vantagem é importante, porém, o jogo ainda está aberto. Em casa, o Athletico poderia ter feito mais gols. No Beira-Rio, veremos outro grande jogo”, disse.

O goleiro Santos e o atacante Marcelo Cirino eram os únicos jogadores do atual elenco do Athletico que estavam na final de 2013, mas apenas o atual camisa 10 era titular. Mancini destacou que o jogador era muito importante para o time athleticano por sua velocidade. “Posso falar de 2013, onde o Cirino era muito importante e sua velocidade tornava nosso time perigoso”, comentou.