A Banda B apresenta uma série de reportagens sobre quatro personagens importantes do futebol paranaense: Joaquim Américo Guimarães, Antônio Couto Pereira, Durival Britto e Silva, e Érton Coelho Queiroz. O quarteto dá nome aos principais estádios de Curitiba.

Conheça a história de Joaquim Américo Guimarães

Joaquim Américo Guimarães. (Arquivo/Ronaldo Carlos)

O usineiro Joaquim Américo Guimarães nasceu em Paranaguá no dia 04 de novembro de 1879 e faleceu em 30 de agosto de 1917, aos 37 anos. Ele criou o Internacional Foot-Ball Club em 1912. O clube, em 1924, fez a fusão com o América para criar o Athletico. Ele ainda foi o idealizador do primeiro estádio de futebol do Paraná, onde atualmente fica o estádio rubro-negro que leva o seu nome.

De acordo com o pesquisador Ronaldo Santos, Joaquim Américo Guimarães foi responsável pela criação do primeiro clube em Curitiba que aceitava jogadores de todas as nacionalidades e era um fanático por esportes. “O Joaquim Américo era o capitão do exército e fundador do Internacional em 1912. Ele também foi presidente do Jockey Club do Paraná. Teve a ideia, junto com um grupo de pessoas, para criar um clube que agregasse todas as nacionalidades no Paraná e foi fundado o Internacional”, contou.

“Joaquim Américo gostava muito de esportes e uma das fotos tradicionais dele é com uma bicicleta em 1912 e participava de todas as atividades de esporte no Paraná. Ele gostava também de beisebol, basquete, críquete e futebol”, acrescentou, em entrevista à Banda B.

Inauguração da Baixada

Imagem antiga do estádio Joaquim Américo Guimarães. (Reprodução/Athletico)

A inauguração oficial da Baixada aconteceu em 1914, com a goleada do Flamengo por 7 a 1 sobre o Internacional. Mas antes, em 21 de dezembro de 1913, Joaquim Américo Guimarães fez um festival com jogos de futebol, que contou com a presença das principais autoridades e a presença de 1.500 torcedores.

“A inauguração do estádio foi em um jogo interestadual em 1914, mas ele antecedeu isso para 1913 e juntou uma série de times paranaenses – Coritiba, Rio Branco – para um festival de jogos de futebol. Esse festival congregou os grandes desportistas do Paraná, todas as autoridades estiveram presentes e tinha mais de 1.500 pessoas no estádio. É o primeiro estádio de futebol do Paraná”, disse o pesquisador.

Por que o estádio foi batizado de Joaquim Américo Guimarães?

Imagem do estádio Joaquim Américo Guimarães (Arena da Baixada) na final da Sul-Americana de 2018. (Geraldo Bubniak /AGB)

A Baixada do Água Verde só virou estádio Joaquim Américo Guimarães em 1934. A ideia foi de Alcídio Abreu, um dos membros da diretoria do Athletico na época, por tudo que o fundador do Internacional fez.

“Em 1912, quando criou o Internacional, ele alugou a chácara do Carlos Hauer, um alemão, para a montagem do campo para a prática apenas do futebol. O estádio foi inaugurado em 1914. A fusão entre Internacional e América para a criação do Athletico em 1924. Em 1933, houve uma permuta de um terreno, onde fica o setor de Ciências Agrárias da UFPR, no Juvevê, com o terreno da Baixada. O estádio se tornou propriedade do Athletico e um dos membros da diretoria do Athletico, Alcídio Abreu, deu a sugestão de dar o nome para Joaquim Américo Guimarães por todo o trabalho que ele teve em relação ao Internacional”, explicou o pesquisador Ronaldo Santos.