(Geraldo Bubniak/AGB)

Em julgamento nesta terça-feira (1), a Segunda Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) absolveu o presidente do Conselho Deliberativo do Athletico, Mario Celso Petraglia, e advertiu o Diretor de Futebol do rubro-negro, Paulo André, após o envolvimento dos dois nas polêmicas da partida entre o Furacão e o Santos, no dia 8 de setembro. Os profissionais reclamaram da arbitragem após um pênalti marcado para o time paulista.

Ambos os athleticanos foram defendidos pelo advogado Paulo Henrique Golambiuk. “No jogo o árbitro marca uma falta fora da grande área e, em seguida, o VAR revisa e marca pênalti. A imprensa destaca que não foi na área e que o lance não poderia ser revisto. Um erro que sim pode ser chamado de inadmissível e irresponsável. No dia seguinte a partida, o clube formalizou o pedido de acesso aos áudios e vídeos do VAR e ainda não recebemos retorno”, defendeu Golambiuk.

O advogado também salientou que Paulo André teria usado a palavra ‘garfado’, que não é sinônimo de ‘roubado’. “O termo está no limite para dizer que a equipe foi prejudicada, mas sem desrespeito”, afirmou. Já no caso do presidente do Conselho Deliberativo, Golambiuk ressaltou que “houve uma postagem uma hora após a partida no calor do momento e o caso estava sendo muito repercutido na imprensa. No caso houve um desabafo generalizado para todo o Brasil. Não imputou de forma individualizada. Em 2018 o presidente do Flamengo foi absolvido após liberar nota criticando erros da arbitragem. Peço a absolvição do presidente”, acrescentou.

O Auditor Felipe Diego, presidente em exercício do STJD, afirmou que “diante das provas é patente que o primeiro denunciado [Paulo André] cometeu um desrespeito contra a arbitragem. Voto pela aplicação de 15 dias de suspensão e converto em advertência. O segundo denunciado [Petraglia] entendo que a defesa conseguiu afastar a conduta do presidente quando esclarece que as palavras não foram direcionadas. Absolvo o presidente”, disse durante o seu voto.

Relembre o caso

O árbitro Rodrigo Carvalhaes de Miranda marcou uma penalidade para a equipe santista no final da partida, mas o atacante Marinho recebeu o toque claramente fora da área. A decisão da arbitragem resultou no gol de empate do Santos, na Vila Belmiro.

Paulo André afirmou, em entrevista coletiva após a partida, que o Athletico teria sido ‘garfado’ na Vila Belmiro. “Nós estamos nos sentindo prejudicados. É uma grande vergonha o que aconteceu aqui hoje, um lance que claramente se inicia fora da área”, analisou.

Já o presidente Petraglia se manifestou nas redes sociais, ao reclamar do VAR. “Estamos cansados de erros de arbitragens contra nós! A esperança do VAR não existe mais, o “erro” agora fica oficializado”, escreveu.