Athletico. (Geraldo Bubniak/AGB)

Seis anos após chegar à sua primeira final de Copa do Brasil, o Athletico está novamente entre os dois melhores times da maior competição mata-mata do futebol brasileiro. Em 2013, o time comandado pelo então treinador Vágner Mancini foi derrotado pelo Flamengo por 2×0, em um Maracanã com quase 70 mil torcedores presentes. Na partida de ida, o Furacão empatou por 1×1 sem poder contar com a Arena da Baixada, que estava em reforma para a Copa do Mundo de 2014. O jogo então foi disputado na Vila Capanema.

Já em 2019, com uma nova Arena e classificado diretamente para as Oitavas de final (por disputar a Libertadores no mesmo ano), o Athletico está invicto em casa: em três jogos, duas vitórias e um empate, com quatro gols marcados e apenas um sofrido em seus domínios. O Furacão eliminou Fortaleza, Flamengo e Grêmio, respectivamente.

Agora o adversário é o Internacional, campeão do torneio em 1992, quando derrotou o Fluminense. Os dois finalistas já se enfrentaram em julho deste ano, pelo Campeonato Brasileiro, com a vitória do Furacão por 1×0, com gol de Vitinho no final da partida.

Relembre a outra campanha

Em 2013, o Athletico teve um caminho maior para chegar até a final. Naquele ano, o primeiro do novo formato da competição, o rubro-negro enfrentou Brasil de Pelotas, América-RN, Paysandu, Palmeiras, Internacional e Grêmio, novamente pela semifinal. Em 11 jogos, foram seis vitórias, quatro empates e uma derrota, totalizando um aproveitamento de 66,6%.

Na final, contra o Flamengo, a equipe empatou na Vila Capanema por 1×1 (com gol marcado por Marcelo Cirino, único remanescente daquele elenco) e perdeu por 2×0 no Rio de Janeiro.