(Foto: Divulgação/Atlético)

Paulo Baier viveu uma época de ‘seca de títulos’ no Athletico. O ex-meia, de 45 anos, jogou no clube entre as temporadas de 2009 e 2013 e venceu apenas um título Paranaense. Mesmo assim, marcou 56 gols, em 162 jogos, e levou a equipe à uma inédita final de Copa do Brasil, em sua última temporada na Arena. Em comemoração ao aniversário de 96 anos do Furacão, ele parabenizou a equipe e revelou o desejo de voltar como técnico ao “clube que mais marcou sua carreira”.

“Foi o lugar onde eu mais tive uma identificação com a torcida. Claro que tive passagens por Palmeiras, Criciúma e Goiás, mas o Athletico foi o que mais marcou. Fiquei quase cinco anos e foi uma época essencial na minha carreira”, afirmou Paulo Baier, em entrevista à Banda B. “Sempre estou na torcida pelo time, ainda mais nas finais dos últimos anos. Já fui na Arena várias vezes e espero que, um dia, possa voltar a trabalhar no Furacão como técnico”, revela o ex-jogador.

Passagem pelo Athletico

Baier também relembrou momentos importantes de sua passagem com a camisa rubro-negra. O camisa 10 revela uma grande gratidão pela torcida que o acolheu desde o momento de sua chegada, há mais de dez anos. “O que mais me marcou, além da estrutura do Athletico, foi sem dúvida o torcedor, que sempre teve muito carinho e respeito por mim. Isso marca qualquer jogador e eu sou muito grato pela torcida athleticana”, afirma.

Questionado sobre o seu grande momento vivido no Furacão, Baier recorda dos jogos da final da Copa do Brasil, em 2013, da terceira melhor campanha no Brasileirão daquele mesmo ano, mas é categórico: um Athletiba marcou sua memória.

“Tivemos vários jogos importantes, mas o grande jogo foi um clássico contra o Coritiba, na Vila Capanema. Eu marquei os dois gols da vitória. Naquele dia, saímos perdendo e no fim do primeiro tempo fiz os gols da virada. Foi um dia muito especial na minha vida”, acrescenta.