Por Pedro Melo com informações de Monique Vilela

Paulo Autuori confirmou que vai manter a base do time para a final do Paranaense. (Monique Vilela/Banda B)

O Atlético depende apenas de uma vitória em duas rodadas para confirmar a classificação às oitavas de final da Libertadores. Desde o início, o técnico Paulo Autuori considerou o próprio Rubro-Negro como “patinho feio” do grupo e ressaltou que a equipe está ficando cada vez mais competitiva.

“Estamos sendo competitivo e não se consegue isso de uma hora para outra. A princípio nós não estaríamos prontos para a Libertadores porque não terminamos [o Brasileiro] em quarto lugar e a equipe ainda encontrava dificuldades. O grupo vai criando casca”, declarou o treinador atleticano.

Durante a vitória sobre o Flamengo, o Furacão encontrou dificuldades no segundo tempo e o treinador até cogitou colocar o volante Deivid para reforçar o sistema defensivo nos minutos finais, mas mudou de ideia após uma sugestão do zagueiro Thiago Heleno.

Autuori explicou que o pedido de Thiago Heleno foi para que colocasse mais um zagueiro para ajudar na pressão que o Flamengo estava exercendo. “O Thiago até falou que se entrasse mais um na defesa, iria ajuda-lo. É a interação que nós temos e tudo se constrói em conjunto. Não tem nenhum protagonista dentro do grupo”, explicou.

Agora, o Atlético volta o seu foco para o Campeonato Paranaense e joga no próximo domingo (30) para enfrentar o Coritiba na primeira partida da grande final. O comandante já adiantou que deve manter a mesma base do time que venceu na Libertadores, mas mudar em algumas peças em cada setor.

“A base da equipe vai ser a mesma e vou fazer algumas mudanças pontuais para reforçar os setores de defesa, meio-campo e ataque porque quarta-feira temos outros jogos difíceis. Podemos passar até 10 dias fora de Curitiba, em maio, e temos que tomar cuidado. Ainda bem que é uma final porque sair de uma atmosfera dessa e vamos encarar o Coritiba para manter o nível de atenção lá em cima”, explicou o técnico.