Ainda sem definição do retorno do futebol paranaense, a Banda B segue com a série de debates sobre Athletico, Coritiba e Paraná. Durante a semana no programa Balanço Esportivo, os integrantes da equipe de esportes escolheram os cinco principais times da história do Athletico.

Athletico 2001

Alex Mineiro (à esquerda) marcou oito gols no mata-mata do Brasileirão de 2001. (Arquivo/Athletico)

O time de 2001 foi responsável pelo único título da história do Athletico no Campeonato Brasileiro. Depois de terminar a fase de classificação em segundo lugar, o Furacão foi arrasador no mata-mata. Venceu o São Paulo nas quartas de final, o Fluminense na semifinal e o São Caetano, duas vezes, na decisão. O atacante Alex Mineiro foi o grande nome durante o mata-mata e marcou oito gols em apenas quatro jogos.

O time-base de 2001 tinha Flávio; Gustavo, Nem e Rogério Corrêa; Alessandro, Cocito, Kléberson, Adriano Gabiru e Fabiano; Alex Mineiro e Kléber. O técnico era Geninho.

Athletico 2004

Time vice-campeão brasileiro em 2004. (Arquivo/Athletico)

Considerado por muitos o time habilidoso da história do Athletico. O Furacão liderava o Brasileirão de 2004, mas perdeu o título para o Santos nas últimas rodadas. Foram 92 gols, sendo 34 de Washington, maior artilheiro da história do Campeonato Brasileiro.

O time-base de 2004 tinha Diego; Marinho, Rogério Corrêa e Marcão; Fernandinho, Alan Bahia, Fabiano, Jadson e Ivan; Dênis Marques e Washington. O técnico era Levir Culpi.

Athletico 2019 

Athletico foi campeão da Copa do Brasil em 2019. (Wesley Santos/AGIF/AGB)

Campeão da Sul-Americana no ano anterior, o Athletico perdeu algumas peças para 2019, mas manteve a base vitoriosa. O resultado foi mais um título importante: a Copa do Brasil. Depois de eliminar Fortaleza, Flamengo e Grêmio, o Furacão ganhou duas vezes do Internacional na decisão e levantou a taça no Beira-Rio.

O time-base de 2019 tinha Santos; Jonathan (Khellven), Thiago Heleno (Robson Bambu), Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington, Bruno Guimarães e Léo Cittadini; Nikão, Marco Ruben e Rony. O técnico era Tiago Nunes.

Athletico 2018

Athletico venceu o Barranquilla e conquistou o título da Sul-Americana (Geraldo Bubniak/AGB)

A ‘era Tiago Nunes’ no time principal do Athletico começou após a demissão de Fernando Diniz durante a pausa para a Copa do Mundo de 2018. Em apenas seis meses, o Athletico saiu de um time desacreditado para campeão da Sul-Americana. O título veio de forma emocionante na Arena da Baixada. Depois de dois empates em 1 a 1, o Rubro-Negro levou a melhor nos pênaltis por 4 a 3 contra o Junior Barranquilla.

O time-base de 2018 tinha Santos; Jonathan, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Bruno Guimarães, Lucho González e Raphael Veiga; Nikão, Marcelo Cirino e Pablo. O técnico era Tiago Nunes.

Athletico 1949

Furacão de 1949. (Arquivo/Athletico)

O apelido de Furacão nasceu da campanha histórica do Athletico no Campeonato Paranaense de 1949. Em apenas 12 partidas, o Rubro-Negro marcou 49 gols. Uma média de 4,08 gols por jogo.

A maior goleada na campanha em 1949 foi 7 a 3 sobre o Água Verde, com seis gols de Neno. O time ainda contava com a dupla histórica formada por Jackson e Cireno.

O time-base em 1949 tinha Laio; Nillo e Waldemiro; Waldir, Wilson e Sanguinetti; Viana, Ruy, Neno, Jackson e Cireno. O técnico era Motorzinho.

Confira os votos

Monique Vilela – setorista do Athletico

1999 – Campeão da Seletiva da Libertadores

2004 – Vice-campeão do Campeonato Brasileiro

2001 – Campeão do Campeonato Brasileiro

2018 – Campeão da Sul-Americana

2019 – Campeão da Copa do Brasil

Felipe Dalke – repórter

2001 – Campeão do Campeonato Brasileiro

2018 – Campeão da Sul-Americana

2004 – Vice-campeão do Campeonato Brasileiro

1949 – Furacão de 1949

1983 – Semifinalista do Campeonato Brasileiro

Luiz Ferraz – repórter

1999 – Campeão da Seletiva da Libertadores

2018 – Campeão da Sul-Americana

2019 – Campeão da Copa do Brasil

2004 – Vice-campeão do Campeonato Brasileiro

2001 – Campeão do Campeonato Brasileiro

Bruno Abdala – repórter

1949 – Furacão de 1949

1999 – Campeão da Seletiva da Libertadores

2019 – Campeão da Copa do Brasil

2001 – Campeão do Campeonato Brasileiro

2004 – Vice-campeão do Campeonato Brasileiro

Pedro Melo – repórter

2001 – Campeão do Campeonato Brasileiro

2018 – Campeão da Sul-Americana

2019 – Campeão da Copa do Brasil

1949 – Furacão de 1949

2004 – Vice-campeão do Campeonato Brasileiro

Luiz Kozak – repórter

1949 – Furacão de 1949

2004 – Vice-campeão do Campeonato Brasileiro

1982 – Campeão do Campeonato Paranaense

2019 – Campeão da Copa do Brasil

2001 – Campeão do Campeonato Brasileiro