Santos volta para a equipe e Furacão empata em Goiás. (Divulgação/Athletico)

Em Goiânia, o Athletico paranaense empatou em 1 a 1 com o Atlético Goianiense, que jogou praticamente sessenta minutos com um a menos, na noite deste sábado (17), no Estádio Olímpico Pedro Ludovico. Zé Roberto marcou nos acréscimos do primeiro tempo e Léo Cittadini empatou na segunda etapa.

Com o resultado, o Furacão trocou de lugar com o Coritiba na tabela, e figura na 17ª colocação, com 16 pontos. Seis jogos sem vencer, o rubro negro pode estrear o técnico Paulo Autuori na próxima partida contra o Grêmio, na Arena da Baixada, no domingo (25) às 18h15.

O jogo

Pelo resultado positivo e a conquista dos três pontos, o Athletico entrou em campo pressionando o Dragão, em busca da vitória. Modificado, o Furacão teve Ravanelli e Carlos Eduardo como novidades principais, na escalação de Eduardo Barros. Nikão ficou no banco de reservas no início do confronto.

Por estar em casa, o Atlético Goianiense puxou o primeiro ataque, mas logo o Furacão estudou o jogo e Carlos Eduardo começou a fazer a movimentação do ataque funcionar.

Perseguido pela zaga do Dragão, Cadu levou pelo menos três faltas até que aos 19 minutos, William Maranhão pegou o jogador do Athletico sem bola. Considerada agressão, a jogada teve a punição com o vermelho e o camisa 5 foi expulso.

Com um a mais, o Furacão tinha a vantagem e buscou aproveitar os espaços. Carlos Eduardo passou a criar mais e Renato Kayzer chegou duas vezes, mas Jean defendeu as jogadas. Aos 29, Cadu ganhou a dividida, mas mandou para a fora.

O árbitro, Pablo Ramon Goncalves Pinheiro, teve trabalho com a revisão de lances. Um deles foi na jogada em que Eder chegou um pouco mais duro no camisa 96 do Furacão. De primeira ele foi expulso, mas na revisão pelo VAR foi aplicado o cartão amarelo.

Já no finzinho do primeiro tempo, Thiago Heleno e Pedro Henrique vacilaram e deixaram Zé Roberto livre, o atacante, de peito, abriu o placar, com um golaço.

No intervalo, muita confusão nas arquibancadas. Membros da diretoria e pessoas não identificadas passaram a ofender atletas e comissão técnica do Athletico. Nikão e Walter se manifestaram pedindo respeito.

Na volta da partida, Eduardo Barros preferiu retirar Wellington que já tinha um cartão amarelo e colocou Richard. Na outra alteração de intervalo, Leo Gomes que também estava amarelado foi substituído por Fabinho, promovendo uma mudança no esquema de jogo.

Aos nove minutos, o treinador athleticano, preferiu mudar mais uma vez, e Nikão, após meses se recuperando de lesão, entrou na partida no lugar de Carlos Eduardo. Com quatro atacantes, o Furacão queria buscar a finalização mais precisa das jogadas.

Com poucos minutos em campo, Nikão subiu pela direita e deixou Leo Cittadini tranquilo para empatar a partida. O diferencial do jogador apareceu e aos 16, o camisa 11 soltou a primeira bomba em cima de Jean, que defendeu. O ritmo do jogo se transformou e as chegadas do Athletico começaram a ser mais frequentes.

Fabinho entrou bem na partida e logo deixou Renato Kayzer próximo ao gol, mas o atacante não conseguiu passar por Jean e durante a partida não conseguiu entregar um bom futebol. As vezes, com cinco no ataque e três na linha de criação, a pressão era pelo gol de virada. A finalização certeira não veio, mesmo com um ataque armado, o Furacão não conseguiu virar o jogo, que acabou no empate por 1 a 1.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO GOIANIENSE 1X1 ATHLETICO

Local: Estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia (GO)

Data: Sábado, 17 de outubro de 2020

Horário: 19h

Árbitro: Pablo Ramon Goncalves Pinheiro (RN)

Assistentes: Jean Marcio dos Santos (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)

Árbitro de Vídeo: Caio Max Augusto Vieira (RN)

Assistentes de Vídeo: Christiano Gayo Nascimento (DF) e Flavio Gomes Barroca (RN)

Atlético Goianiense: Jean; Dudu, João Victor, Éder e Natanael; Marlon Freitas e Willian Maranhão; Janderson (Arnaldo), Chico (Matheus Frizzo), Matheus Vargas (Matheuzinho) e Zé Roberto (Hyuri).

Técnico: Eduardo Souza

Athletico: Santos; Leo Gomes (Fabinho), Pedro Henrique e Thiago Heleno, Abner Vinicius; Wellington (Richard), Christian e Leo Cittadini; Ravanelli (Bissoli), Carlos Eduardo (Nikão) e Renato Kayzer (Geuvânio)   .

Técnico: Eduardo Barros

Cartão amarelo: João Victor, Eder, Matheus Vargas (ACG); Wellington, Leo Gomes, Leo Cittadini, Abner e Geuvânio (CAP)

Cartão vermelho: William Maranhão e Everton Felipe (reserva)