Lucas Silvestre comandou o Athletico na derrota diante do Santos na Vila Belmiro (Wilian Oliveira/Futura Press/Folhapress)

O Athleitco conheceu a sua primeira derrota neste Brasileirão. Porém, em boa parte da primeira etapa, o rubro-negro conseguiu implementar a sua forma de atuar, chegou a ter duas chances reais e o gol parecia questão de tempo. Mas, a equipe sofreu o gol num erro de saída de bola do zagueiro Lucas Halter. A partir daí, o Furacão sentiu o gol e não conseguiu repetir o bom futebol.

“O Halter teve uma noite infeliz, como toda a equipe.  Ele é um grande atleta, tenho certeza que ele vai dar a volta por cima na próxima partida. É um atleta que vem nos ajudando muito, confiamos muito nele e não é uma noite ruim que ele e toda equipe tiveram, não podemos jogar a culpa somente em um atleta. Nós todos, começando pela comissão técnica, e passando pelos jogadores, não fizemos um bom trabalho hoje e não conseguimos o resultado”, analisou Lucas Silvestre.

E essa não é a primeira vez que Lucas Silvestre comanda a equipe no lugar do pai, Dorival Júnior. Desta vez, o técnico do Athletico não esteve a beira do gramado, pois testou positivo para a Covid 19. Em relação ao trabalho de auxiliar o pai, Silvestre alega que já está acostumado e encara com naturalidade. “Isso já tinha acontecido, eu já assumi no lugar dele, inclusive aqui no Santos, já aconteceu em outras equipes com outras situações. Não muda nada, o professor (Dorival) continua participando de todas as reuniões, inclusive participou ativamente do jogo de hoje, infelizmente não pode estar presente no estádio, mas continua fazendo o trabalho dele e nos buscamos desde as preleções e treinamentos, fazer tudo aquilo que ele queria e estamos sempre trabalhando integradamente, independente de ele estar presente no dia a dia.

Lucas Silvestre vai comandar o Athletico na próxima partida,  quarta-feira (19), às 19h30 na Arena da Baixada, diante do Palmeiras.