Jackson e Sicupira, ídolos do Athletico. (Divulgação/Athletico e Geraldo Bubniak/AGB)

Durante o programa Balanço Esportivo da última segunda-feira (18), a Banda B apresentou um recado especial de Jackson, ídolo do histórico time do Athletico de 1949, para Barcímio Sicupira, maior artilheiro do Furacão.

“A única coisa que não me deixou feliz no futebol foi nunca ter jogado no mesmo time que ele. O jogador que eu era fã, torcia para ele como não torcia para nenhum outro. Eu achava ele um extraordinário jogador. Não joguei com ele na seleção, no mesmo time, em lugar nenhum. Tenho saudade do jogo dele”, declarou Jackson.

Em seguida, Sicupira agradeceu as palavras de um jogador que considera ídolo. “Para eu jogar naquela linha do Furacão de 49 seria difícil. Sou um fã incondicional do Jackson por tudo que ele me falou. Sempre que a gente conversou, ele manifestou ser um sujeito compreensível e amigo. Deus me desse essa glória de jogar com esse monstro sagrado chamado Jackson. Meu pai me falava dele”, disse.

Jackson do Nascimento é um dos grandes nomes da história do Athletico e formou uma grande dupla com Cireno nos anos 40. Ele conquistou os títulos estaduais de 1943, 1945 e 1949. No total, foram 196 jogos e 143 gols com a camisa rubro-negra.

Já Sicupira é o maior artilheiro da história do Athletico com 157 gols e um dos grandes ídolos do clube. Ele é conhecido como ‘Craque da 8’ e desde 1999 comenta os jogos do Rubro-Negro na Banda B.