Bruno Guimarães estava no radar do Chelsea (Miguel Locatelli/Athletico)

A Fifa anunciou, nesta quarta-feira (08), a rejeição do recurso do Chelsea contra a punição imposta por transferências irregulares de atletas menores de idade. Sendo assim, o time inglês, que chegou a monitorar e preparar uma oferta pelo volante Bruno Guimarães, do Athletico, segue proibido de fazer contratações até julho de 2020.

A restrição foi imposta pelo Comitê Disciplinar da Fifa em fevereiro deste ano e mantida pelo Comitê de Recurso. O Chelsea foi punido por conta das contratações de 29 atletas menores de idade e, além de proibido de contratar atletas nas próximas duas janelas de transferências, também teve que pagar 600 mil francos suíços (cerca de R$ 2,3 milhões) de multa.

O clube inglês enviou representante ao Brasil para acompanhar o volante athleticano, em abril, na vitória por 3 a 0 sobre o Boca Juniors, pela Libertadores. Dias depois, o site britânico Daily Mail revelou uma oferta de 34,5 milhões de libras (cerca R$ 174 milhões) que estaria sendo preparada para contratar o jogador.

A situação também pode complicar o Chelsea com relação ao volante croata Kovacic e o atacante argentino Gonzalo Higuaín, que estão emprestados ao clube e não poderão permanecer na próxima temporada.