Torcedores viajaram junto com a delegação para Caracas (Monique Vilela/Banda B)

O Atlético viajou em voo fretado para a Venezuela, onde encara o Caracas, nesta quarta-feira (19), às 19h30, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O clube possibilitou que 15 sócios acompanhassem a delegação na viagem ao país vizinho, algo que, segundo o gerente comercial Gustavo Campos, a diretoria irá trabalhar para que aconteça mais vezes.

“A ideia é sempre que a gente fizer voos fretados e tiver a possibilidade de assentos livres para os torcedores, tentaremos fazer com que isso vire rotina. Nos voos comerciais é mais complicado, mas quando for fretado, como foi neste caso, vamos trazer a torcida junto para proporcionar esse relacionamento com os jogadores que é mais complicado no dia a dia”, afirmou o gerente.

Com a Venezuela enfrentando um período de forte crise, Gustavo Campos comentou que a logística não foi nada fácil e que, por isso, o clube optou por voo fretado. “A dificuldade nossa primeiramente foi a questão de logística. Os voos eram complicados para Caracas, então optamos pelo fretamento de uma empresa de Curitiba. Isso facilitou a nossa logística, até para trazer mantimentos para a população daqui da cidade e possibilitar que torcedores viessem junto para acompanhar o time”, disse.

Mesmo com o pouco tempo no país, o gerente comercial disse que os problemas que o povo venezuelano vem enfrentando são visíveis já nas proximidades do hotel onde o time está hospedado. “O clima que a gente percebe nos arredores do hotel é de um povo que está sofrendo e tentando se estabilizar. A delegação está concentrada no hotel, só vai sair para fazer o treinamento à tarde. Faremos uma conversa com os torcedores para privilegiá-los, já que investiram para estar aqui conosco”, finalizou.

O voo do Furacão deixou Curitiba na segunda-feira (17), às 14h30, e desembarcou em Caracas por volta das 22h10, após ter feito parada para reabastecimento em Manaus-AM.