Por João Pedro Alves

Depois de “bater na trave” dois anos seguidos, o Atlético está nas semifinais da Copa do Brasil pela primeira vez na história. A classificação inédita veio com um empate em 0 a 0 com o Internacional na noite desta quarta-feira (23) na Vila Capanema. Como havia empatado em 1 a 1 fora de casa, o placar inicial foi suficiente para manter os rubro-negros vivos na busca pelo título nacional e a vaga na Libertadores.

O próximo adversário do Atlético na competição é o Grêmio, que bateu o Corinthians nos pênaltis na Arena, em Porto Alegre. A primeira partida do novo confronto da região sul acontecerá em Curitiba, ainda sem data definida.

Em jogo movimentado, Atlético é melhor e mantém placar favorável

Em um clima digno de uma verdadeira decisão, a Vila recebeu um bom público para empurrar o Atlético na busca pela inédita semifinal da Copa do Brasil. Em campo, a disputa contra o Internacional, campeão em 1992, começou com bastante correria. Mesmo com o equilíbrio, o gol rubro-negro quase saiu ainda no início com um chute de primeira de Everton que passou sobre o travessão.

Apesar de ter o empate em 0 a 0 a favor, o Furacão não se acomodou e buscou se impor para aumentar a vantagem. O time da casa até tinha mais posse de bola e avançava pelas laterais, mas não conseguia criar chances claras de gol. O Colorado, por sua vez, não tinha facilidade quando estava com a bola nos pés pela forte marcação.

A atenção dada pelas equipes à defesa dificultou que os jogadores de frente chegassem em condições de inaugurar o placar. Pouco a pouco os gaúchos foram gostando mais do jogo e se postaram mais à frente, mas pararam sempre no sistema defensivo atleticano. Em uma exceção, Otávio recebeu na área e fez Weverton defender uma paulada no canto.

E assim o jogo foi se encaminhando para o intervalo. O Inter estava mais no campo de ataque, mas o Atlético sabia se portar e não corria riscos. A torcida rubro-negra só foi soltar um “uuhhhh” novamente nos últimos minutos, em uma cobrança de falta venenosa de D’Alessandro parada por Weverton, que garantiu a classificação parcial no primeiro tempo.

Inter tenta estragar festa sem sucesso, e Furacão garante vaga inédita nas semis

Após uma primeira etapa em que o resultado favoreceu o Atlético, o jogo voltou para sua metade final mais pegado. Além da dificuldade de fazer a bola sair do meio-campo, as várias faltas foram minando o ritmo da partida. Mais tranquilo com a vantagem, o Furacão conseguia ser melhor que o tenso Internacional, que precisava correr atrás do gol.

Tendo que ir para cima, o Colorado reforçou a força ofensiva e o resultado logo apareceu: conseguiu ficar mais tempo no campo rubro-negro, embora sem conseguir passar da intermediária. A não ser em um levantamento na área em que a zaga falhou e Rafael Moura chegou batendo por cima da meta. Enquanto isso, o Atlético esperava para contra-atacar.

O risco de esperar e dar campo para o adversário era, em um vacilo, levar o gol que poderia representar a desclassificação. Assim, o Rubro-Negro voltou a sair mais e jogar bola. Ainda assim, já administrando o 0 a 0, teve que segurar alguns avanços colorados, não permitindo que Weverton sofresse algum perigo real.

A classificação atleticana ia se encaminhando, mas como já era de se esperar os últimos minutos tiveram um clima tenso. O Internacional se arriscou o tanto que pôde na expectativa de encontrar o gol salvador que o daria a vaga. No entanto, o Atlético conseguiu se segurar e deixar o tempo passar até que o apito final confirmasse a classificação inédita para as semifinais da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 0 X 0 INTERNACIONAL

Local: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR).
Data: 23 de outubro de 2013, quarta-feira.
Horário: 21h50.

Atlético: Weverton; Léo, Manoel, Luiz Alberto e Juninho (Renato Chaves); Deivid, Zezinho, Everton e Paulo Baier; Dellatorre (Douglas Coutinho) e Ederson (Ciro).
Técnico: Vagner Mancini.

Internacional: Muriel; Gabriel, Jackson, Juan e Kleber (Scocco); João Afonso, Willians, Jorge Henrique, D’Alessandro e Otávio (Forlán); Leandro Damião (Rafael Moura).
Técnico: Clemer.

Público pagante: 12.629 pessoas.
Público total: 13.772 pessoas.
Renda: R$ 211.290,00.

Cartões amarelos: Weverton, Zezinho, Douglas Coutinho (CAP). D’Alessandro, Jorge Henrique, Jackson (SCI).