Santos. (José Tramontin/Athletico)

A derrota do Athletico por 3 a 1 para o Fluminense na noite deste sábado (05), no Maracanã, marcou mais uma atuação em que o Furacão oscilou de produção. O gol rubro-negro logo no começo do jogo e a virada sofrida no segundo tempo resumiu o que fez parte de mais uma derrota no Brasileirão. Para o goleiro Santos, que retornou à meta rubro-negra após se recuperar da covid-19, a falta de competitividade contribuiu para esse revés fora de casa.

“A gente começou num ritmo bom e conseguiu fazer um bonito gol. Mas infelizmente cometemos alguns erros que acabaram cedendo o empate, e eles viraram o jogo. Faltou um pouco mais de tranquilidade, aquela competitividade. Por alguns erros, fomos penalizados com essa derrota”, disse o camisa 1, logo após o jogo.

Na volta aos gramados depois de cumprir quarentena de dez dias, Santos teve a oportunidade de defender uma penalidade ainda no primeiro tempo, além de ter praticado outras importantes defesas. O camisa 1 comemorou seu retorno, mas sem deixar de lembrar do revés no Maracanã.

“Ficar parado é muito ruim, ainda mais quando se trata desse vírus que está solto. A gente fica feliz de poder fazer um bom trabalho. Seria muito melhor com a vitória”, diz.

A segunde derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro não abala a meta athleticana dentro da competição. Um lugar no G6 está longe da realidade atual, mas segue como objetivo rubro-negro na competição.

“A gente tem que pensar jogo a jogo. Mas pensando lá em cima. Só assim nós dá aquele ânimo a mais pra buscar. Sabemos que não é fácil” completa o goleiro.