Jarlan Barrera perdeu pênalti na prorrogação da final da Sul-Americana entre Athletico e Junior Barranquilla. (Geraldo Bubniak/AGB)

O Athletico conquistou o título inédito da Sul-Americana de 2018 após derrotar o Junior Barranquilla, da Colômbia, nos pênaltis por 4 a 3. Porém, a história poderia ter sido diferente se não fosse uma penalidade desperdiçada pelo time colombiano já na prorrogação.

Com a Arena da Baixada lotada e o jogo empatado em 1 a 1, o Athletico viveu um momento muito tenso já no tempo extra. Mais precisamente aos seis minutos do segundo tempo, o meia Jarlan Barrera teve a chance de marcar o segundo gol do Junior Barranquilla em uma cobrança de pênalti. Só que o ex-jogador do time colombiano chutou por cima do gol e deu uma sobrevida para o Furacão, que levou a melhor nas penalidades máximas.

Em entrevista ao canal Win Sports, da Colômbia, Barrera, torcedor declarado do Junior Barranquilla, revelou que ainda sonha com a final. “Pensam que ter perdido o pênalti não importa para mim e nem sabem que eu sempre sonho com essa partida. Era a possibilidade de ter ganho uma copa internacional, sempre será doloroso para mim. São coisas sobre futebol que aprendi e espero que em algum momento possa ter uma revanche. Se será no Júnior eu não sei, se será no Nacional ou em qualquer outra equipe, mas vou ter”, disse.

Faltando cinco minutos para o final da prorrogação, Barrera foi substituído por Daniel Moreno e ficou de fora das penalidades máximas. O Athletico levou a melhor com gols de Jonathan, Raphael Veiga, Bergson e Thiago Heleno e levou a taça da Sul-Americana.