Atlético pode terminar rodada no G6 do Campeonato Brasileiro. (Monique Vilela/Banda B)

O Atlético vive um melhor momento que o rival Coritiba na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, mas nem por isso se coloca como favorito para o clássico. O discurso dentro do clube é de que os números não importam no momento da partida que acontecerá neste domingo (10), às 11h, na Arena da Baixada.

“Um clássico é um jogo motivante, a equipe contrária e nossa está muito motivada. É um jogo diferente para a cidade e independente de quem está bem ou mal, quem colocar mais sabedoria no campo vai ganhar. Um clássico é diferente e se ganha por detalhe. O importante é jogar como equipe para tentar superar o adversário que é complicado”, declarou o técnico Fabiano Soares.

Já o meia Guilherme segue a mesma linha de discurso e não vê o Rubro-Negro como favorito por ter a melhor campanha no Brasileirão. “Na minha opinião não representa nada. Foram pontos importantíssimos que conquistamos, saímos de uma zona desconfortável. Porém, tratando-se de um clássico, os números ficam para trás e a campanha de cada time pouco importa. Não adianta ter bons números e não vencer no clássico. Nosso objetivo é não dar valor a tudo que aconteceu”, comentou.

Da última vez que se enfrentaram, o Coritiba venceu por 1 a 0 e assumiu a terceira posição do Brasileirão. Desde então, o Coxa somou apenas 15 pontos e agora briga para não entrar na zona de rebaixamento. Já o Rubro-Negro, que estava na penúltima colocação, ganhou 29 pontos e agora disputa um lugar no G6.

Para o treinador atleticano, o que mais motiva no clássico é ganhar os três pontos para seguir com o bom momento. “Motiva mais jogar bem e somar os três pontos. Depois que acabar a jornada, vamos ver se podemos entrar no G6. O que motiva é ganhar para dar mais tranquilidade a equipe e para que os jogadores sigam confiando no trabalho do treinador”, disse.