Athletico. (Geraldo Bubniak/AGB)

O Athletico comemora 96 anos de história, nesta quinta-feira (26), em seu melhor momento desde a fundação, na fusão do Internacional Football Club e do América Futebol Clube, em 1924. Após quase um século, entre o fim de 2018 e a metade de 2019, o Furacão venceu dois dos mais importantes títulos do futebol paranaense em pouco mais de um ano, a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil.

Além disso, o clube também conta hoje com uma situação financeira saudável, ao contrário da maioria dos times do futebol brasileiro, em uma das maiores ascensões de todos os tempos do esporte bretão. As recentes vendas de jogadores importantes, como Renan Lodi e Bruno Guimarães, ajudaram neste cenário positivo no orçamento rubro-negro.

Virada histórica

O projeto de reestruturação do Athletico surgiu em 1995, após uma goleada histórica para o Coritiba por 5×1, no famoso ‘Atletiba do domingo de Páscoa’. O responsável pela revolução que hoje conhecemos tem nome e sobrenome: Mário Celso Petraglia. O empresário assumiu o clube das mãos do então presidente Hussein Zraik, ‘convidado’ a renunciar após a vexatória derrota para o maior rival.

Desde então, Petraglia derrubou a antiga Arena da Baixada e construiu um dos estádios mais modernos do país à época, em 1999. Dois anos depois, o time foi campeão brasileiro, ao derrotar o São Caetano. O técnico daquela conquista, Geninho, relembra com carinho o inédito título rubro-negro.

“Foi muito especial. O Athletico tem uma importância muito grande na minha vida profissional. É no clube que eu consegui o maior título da minha carreira, o Brasileiro de 2001. Fico muito feliz de ver a situação maravilhosa em que vive atualmente e minha relação com a torcida athleticana será eterna”, afirmou em entrevista à Banda B.

Uma década depois, e com a promessa de uma Copa do Mundo no Brasil, Petraglia liderou a candidatura de Curitiba no maior torneio de futebol do Mundo. Conseguiu. A Arena foi novamente reformada e conta hoje com um moderno espaço para mais de 40 mil torcedores.

Futuro

Liderado pelo agora ex-técnico, Tiago Nunes, o Athletico comemora 96 anos ainda em clima de festa pelas conquistas da Sul-Americana (2018) e Copa do Brasil (2019). Em ambos os títulos, o Furacão eliminou times tradicionais do país e do continente, como Grêmio, Flamengo e Peñarol. No fim, a força da nova Arena fez com que o clube se tornasse um dos melhores mandantes do Brasil, independentemente da grama sintética.

Hoje, classificado a mais uma Copa Libertadores, o Athletico completa mais um aniversário em busca de novos objetivos, como a conquista do maior torneio do continente que, segundo seu mandatário, será apenas ‘questão de tempo’.