Furacão foi superado de virada pelo Botafogo (IDE GOMES/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO)

O Athletico chegou a sair na frente, mas foi derrotado pelo Botafogo, de virada, por 2 a 1, na tarde deste domingo (11), no Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro, em duelo marcado por polêmicas com o árbitro de vídeo. Com o revés, Furacão perde a sequência de vitórias fora de casa no Brasileirão.

A equipe teve uma formação completamente reserva. Após a conquista da Levain Cup/Conmebol Sul-Americana, no Japão, o técnico Tiago Nunes mandou os reservas em campo e poupou os titulares de olho no confronto com o Grêmio, no meio da próxima semana, pela Copa do Brasil.

O duelo pela semifinal da competição acontece na próxima quarta-feira (14), às 21h30, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Pelo Brasileirão, o time enfrenta o Atlético-MG, no sábado (17), às 19h, na Arena da Baixada.

O jogo

Mesmo com o time reserva, o Athletico se impôs e foi superior no primeiro tempo. Comandado pelo atacante Thonny Anderson, o time paranaense pressionou o Botafogo desde os minutos iniciais de partida. Em menos de cinco minutos, o camisa 38 teve duas boas chances, uma pelo solo e outra pelo alto, assustando o goleiro Gatito Fernández.

A boa atuação do atacante rubro-negro foi coroada aos 15 minutos, com o primeiro gol do jogo. Após cobrança de falta na área, a bola desviou na marcação botafoguense e sobrou nos pés de Thonny Anderson, que bateu na saída do arqueiro e abriu o placar.

Com a vantagem no placar, o Furacão diminuiu o ritmo e viu o Alvinegro crescer em busca do empate. Aos 18, Marcelo Benevenuto desviou cobrança de escanteio e mandou por cima. Mas, aos 30, o gol finalmente saiu. A bola foi levantada na área, o goleiro Caio saiu mal e Luiz Fernando ficou com o gol aberto para igualar o duelo. Pouco depois, aos 33, por pouco o time carioca não virou, em cabeceio de Joel Carli que carimbou o travessão.

Mesmo que com menos intensidade, o Furacão seguiu superior no início da segunda etapa. Com poucas chances para ambos os lados, o Rubro-Negro assustou, aos dez minutos, em cabeceio de Léo Cittadini que passou perto do travessão.

Mas o Botafogo aos poucos começou a assumir o controle do jogo. Primeiro, aos 13, chegou com Luiz Fernando e o goleiro Caio defendeu. Aos 15, Joel Carli marcou após cobrança de escanteio, mas o gol da virada foi anulado após consulta ao VAR, por conta de um toque de mão do jogador alvinegro.

Tanto o time carioca buscou que, aos 30 minutos, o crescimento foi coroado com o gol da vitória. Lucas Campos invadiu a área e foi derrubado por Pedro Henrique. O árbitro consultou o vídeo e marcou pênalti, que Diego Souza converteu e marcou o gol da vitória do Botafogo.

Os rubro-negros ainda ficaram na bronca por um pênalti não marcado pelo árbitro Douglas Marques das Flores, no lateral-direito Madson, aos 54 do segundo tempo.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 2X1 ATHLETICO

Local: Estádio Nilton Santos (Engenhão), Rio de Janeiro (RJ).
Data: Domingo, 11 de agosto de 2019.
Horário: 16h.
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP).
Assistentes: Alex Ang Ribeiro (SP) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP).
Árbitro de vídeo: Márcio Henrique de Gois (SP).
Assistentes de VAR: Salim Fende Chavez (SP) e Herman Brumel Vani (SP).

Botafogo: Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Marcelo Benevenuto (Kanu) e Gilson; João Paulo, Cícero, Gustavo Bochecha (Jean) e Luiz Fernando; Rodrigo Pimpão (Lucas Campos) e Diego Souza.
Técnico: Gustavo Barroca.

Athletico: Caio; Madson, Lucas Halter, Pedro Henrique e Abner Vinícius; Matheus Rossetto, Léo Cittadini (Pedrinho), Lucho González (Erick) e Tomás Andrade (Vitinho); Braian Romero e Thonny Anderson.
Técnico: Tiago Nunes.

Gols: Thonny Anderson (CAP) aos 15′ e Luiz Fernando (BOT) aos 30′ do primeiro tempo; Diego Souza [de pênalti] (BOT) aos 30′ do segundo tempo.

Cartões amarelos: João Paulo, Cícero e Rodrigo Pimpão (BOT).