Técnico reconhece que o setor ofensivo é um dos maiores problemas da equipe nesta temporada (Geraldo Bubniak/AGB)

O empate diante do Ceará por 0 a 0, foi o terceiro do Furacão nesta Série A, dentro da Arena da Baixada. Com a volta de jogadores considerados titulares, o Athletico não conseguiu impor a sua forma de jogar diante do Vozão. Conhecida pela forte marcação, o rubro-negro sofreu muito com a bola aérea da equipe cearense e foi pouco efetivo na setor ofensivo.

”O nosso primeiro tempo, não foi igual aos últimos primeiros tempos aqui na Arena. Nossa marcação foi menos agressiva e com isso, oferecemos jogo ao Ceará. O jogo se igualou em vários momentos e não conseguimos ter uma boa construção quando estávamos com a bola para terminarmos bem a jogada. Com isso, a equipe acabou de precipitando em alguns momentos na definição das jogadas. Uma das alternativas inclusive foi utilizar quatro atacantes, mesmo sabendo que por um momento, perdemos um pouco da construção e mesmo assim, não conseguimos balançar as redes nesta noite. Pelo nosso volume de jogo no segundo tempo, merecíamos um resultado melhor’’, avaliou Eduardo Barros

Ao lado do Coritiba, o Furacão tem o pior ataque da competição, com apenas 10 gols marcados, em 13 partidas disputadas. Em quatro delas, o rubro-negro passou em branco na Série A. Para o técnico, esse é um dos maiores problemas da equipe na temporada. “Estamos atentos a este dado e trabalhando bastante no nosso dia a dia. Estamos criando alternativas e vale destacar que contamos com o Kayzer no elenco há poucos dias, Nikão, que é uma das nossas referências no ataque, está fora de combate há algumas rodadas, chegou a voltar e fazer duas partidas, mas teve uma nova lesão e também não podemos contar com o Vitinho, que é um atacante que tem números muito expressivos.  É claro que isso influencia e repercute no baixo número de gols e estamos trabalhando muito para encontrarmos a solução com os jogadores que temos à disposição”, comentou o técnico em entrevista coletiva, após a partida.

Apesar de ocupar a 12ª posição na tabela, com 15 pontos, o Furacão tem a mesma pontuação que o Botafogo, primeiro time dentro da zona de rebaixamento. Situação que preocupa o técnico Eduardo Barros. ”Essa posição sempre incomoda e vamos reunir todos os esforços para sair dessa zona e melhorarmos a nossa pontuação o quanto antes”, afirmou.

O Furacão volta a campo pelo Brasileirão, no próximo domingo (11), às 20h30 diante do Internacional, em jogo válido pela 15ª rodada no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.