Eduardo Barros. (Fábio Wosniak/Athletico)

O técnico Eduardo Barros avaliou como “infelicidade” o resultado negativo do Athletico por 3 a 1 para o Flamengo, na tarde deste domingo (04), no Maracanã. Depois de criar as melhores chances no primeiro tempo, o Furacão levou os três gols na etapa final e saiu de campo com a derrota.

“Não sei se é castigo a melhor expressão. Em um jogo difícil como esse, quando a gente consegue neutralizar as principais jogadas do adversário e criar reais chances de gols, não faze-las faz a diferença. Nós sabíamos que o Flamengo iria tentar controlar o jogo e ter superioridade, o que aconteceu no início do segundo tempo. Nas primeiras oportunidades que tiveram, eles tiveram a vantagem no placar. Não sei se foi um castigo, mas foi ao menos uma infelicidade”, analisou o treinador.

O Athletico começou o segundo tempo abaixo do que apresentou na etapa inicial. Barros comentou que já preparava duas mudanças quando saíram os primeiros gols do Flamengo em um intervalo de três minutos. “O Flamengo voltou para o segundo tempo melhor do que nós voltamos. Espero alguns minutos para ver se a equipe conseguiria se reencontrar na partida, como produziu em parte do primeiro tempo. Ainda antes de sofrermos o primeiro gol, eu faço movimento com o Rogério [Corrêa, auxiliar] para chamarmos dois jogadores em campo. Quando ele estava se movimentando para chamar os jogadores, nós não conseguimos vencer a disputa de segunda bola e acabamos sofrendo o primeiro gol”, disse.

O comandante ainda destacou que o Athletico poderia sair de campo com um melhor resultado. “A derrota é um risco sempre presente em todos os jogos e a gente nunca sabe previamente o resultado da partida. A gente nunca vai planejar a derrota e achar um resultado normal. Pelo que produzimos e a sensação dos jogadores após a partida, a nossa sensação era que poderia sair com um melhor resultado. Temos que nos reequilibrar, encontrar forças para fazer um bom jogo na quinta-feira contra o Ceará”, falou.