Túlio Lustosa confirmou a viagem da delegação do Goiás para a partida contra o Athletico. (Rosiron Rodrigues/Goiás)

O diretor do Goiás, Túlio Lustosa, confirmou a viagem da delegação para a partida contra o Athletico após a mudança no protocolo da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A entidade liberou que os clubes realizem os testes para a Covid-19 em laboratórios locais, evitando que os clubes saibam do resultado apenas no dia da partida, como aconteceu em diversos jogos pelo Brasil no último final de semana.

“Depois dessa normativa da CBF de que os laboratórios locais poderão fazer a coleta e a análise do material, não [vamos pedir o adiamento]. Mas antes, sim. Nós cogitamos pedir porque sabíamos da logística de coletar o material aqui, levar em São Paulo e entregar em tempo hábil, não seria viável para a gente. Nós vamos viajar para Curitiba às 13h45 e com toda a certeza, o Albert Einstein não conseguiria nos entregar em tempo os resultados. O material só iria chegar à São Paulo na madrugada do dia da viagem e seria inviável o Albert Einstein entregar os resultados”, explicou Lustosa, em entrevista à Banda B.

Os jogadores do Goiás, que devem viajar para Curitiba, foram testados na tarde desta segunda-feira e os resultados vão ser divulgados antes do embarque para capital paranaense. “Nós não temos a menor dúvida. Nós testamos ontem [domingo] ainda via CBF, porque não havia saído ainda essa normativa da CBF liberando os laboratórios locais. Fizemos os testes nos atletas que não estavam entre os 23, e os resultados já estão nas nossas mãos, sem nenhum caso positivo. Nós estamos fazendo a coleta dos atletas que estão convocados para o jogo contra o Athletico, e o laboratório garantiu que a entrega será até as 9h de amanhã”, afirmou o diretor.

Casos do novo coronavírus na partida contra o São Paulo

O Goiás teve dez jogadores diagnosticados com o novo coronavírus e soube do resultado apenas horas antes da partida contra o São Paulo, que estava marcada para as 16h do último domingo (11). O clube realizou uma contraprova e nove atletas testaram positivo novamente.

Após pedido ao STJD, a própria CBF adiou a partida contra o São Paulo faltando 10 minutos para a bola rolar. Para Lustosa, o clube recebeu com muita surpresa os casos de Covid-19.. “Foi uma surpresa muito grande. Nós recebemos essa notícia com muita surpresa porque fazemos as testagens toda sexta-feira e nunca deu um número tão grande. Várias vezes não teve nenhum caso positivo, e já tivemos 13 casos ao todo, porém, com comissão técnica e jogadores, mas com três casos no máximo em uma bateria”, destacou.

“Situação ontem foi muito delicada para a gente, apesar do jogo ter sido cancelado minutos antes da bola rolar. Nós já tínhamos informado a diretoria do São Paulo que a gente tinha pleiteado ao STJD e à CBF o cancelamento do jogo pelos motivos óbvios de atraso dos resultados da coleta do Covid. A partir dos momentos que chegaram os resultados no dia do jogo, nós tínhamos o que fazer para substituir os atletas e iríamos com apenas três atletas para o banco de reservas”, disse o dirigente.

O diretor ainda destacou que o protocolo dentro do clube é muito rigoroso e os casos são um reflexo do momento que Goiânia vive na pandemia. “O que posso dizer é que o protocolo do Goiás está sendo muito rigoroso e não mudamos em nada desde o primeiro dia. Os atletas chegam direto de casa, não passam em rouparia e lavam as roupas em casa. Eles são orientados, porém, como a cidade abriu restaurantes, todo mundo vive um momento terrível de confinamento, um atleta acha que pode ir ao restaurante sem prejuízo, sair ao supermercado tranquilamente, e pode ter contraído e trazido para dentro do elenco. É a análise que a gente faz, mas sem julgar ninguém”, comentou.

“O momento que vive Goiânia na pandemia contribuiu bastante para isso. Goiânia vive o ápice, talvez tenha chegado no auge, Vários leitos hospitalares estão praticamente 100% ocupadas, o número de mortes diárias está crescendo. A cidade passou por um isolamento social bem rígido, mas abriu novamente há duas semanas. Isso é um reflexo”, complementou Lustosa.