Desde que chegou ao Athletico, no começo de março, o técnico Cuca sempre teve pelo menos seis dias de treinamento antes do próximo compromisso. Agora, a sequência será completamente diferente, com uma verdadeira maratona de partidas. E, entre elas, confrontos decisivos.

Contando com a vitória por 1×0 sobre o Operário, na última quarta-feira (27), serão três jogos em uma semana, com duas longas viagens. No sábado (30), o Furacão enfrenta o Maringá, pelo duelo de ida da final do Paranaense, no Willie Davids. Depois, na terça-feira (2), estreia na Sul-Americana contra o Sportivo Ameliano, no Paraguai.

Na sequência, no outro sábado (6), tem a grande decisão do Estadual com o Dogão, na Ligga Arena. Diante de tantos jogos, o treinador sabe que precisará dosar o elenco, mas garantiu que não vai priorizar nenhuma competição.

Quando está em time grande é assim. Você joga para ganhar cada jogo. Nossa ideia é essa, jogo a jogo, terceiro jogo, terceira vitória, cada uma com um sabor diferente e uma dificuldade. Agora serão três partidas em seis dias. Temos que contar com a força do grupo, mas primeiro pensando na final do Paranaense e depois vamos viajar e pensar na Sul-Americana“, afirmou ele.

Cuca quer utilizar mais o elenco antes de falar em reforços

Com o término do Paranaense e o início de outras competições, especialmente a Sul-Americana, Cuca terá a oportunidade de modificar o time e testar outras peças, algo que ele fica limitado no Estadual pelo limite de estrangeiros por confronto, que é de apenas cinco.

E somente depois desse início de maratona é que o técnico poderá analisar melhor o grupo e ver se será necessário trazer reforços na janela do segundo semestre, ou se o que tem à disposição é o suficiente para alcançar os objetivos no ano do centenário.

Aqui no Athletico não posso chegar e dizer que quero esse ou aquele jogador. Eu preciso conhecer o que tenho. Eu não pude usar quatro estrangeiros por causa do regulamento. De repente, lá no Paraguai eu posso colocar para jogar. Mas eu preciso ver o que eu tenho primeiro para depois falar com o Mazzuco (André, novo diretor de futebol e com o Lara (Márcio, diretor financeiro) para vermos o que precisa”, apontou o treinador rubro-negro.

Trabalhos antigos semelhantes ao do Athletico

Os últimos trabalhos vitoriosos de Cuca em outros times começaram com uma reestruturação. Os títulos conquistados no Atlético-MG, em 2013 e 2021, e no Palmeiras, em 2016, vieram após mudanças no elenco ou na postura da equipe de uma maneira geral, algo que ele quer fazer semelhante no Athletico.

Lá (no Atlético-MG) foi uma remontagem de 16 jogadores de 2011 para 2013. Fomos vice do Brasileirão em 2012 e campeões da Libertadores em 2013. Em 2016 (no Palmeiras) chegamos ao fundo do poço quando levamos 4×0 do Água Santa e eu falei que o time era para ser campeão brasileiro e muitos duvidaram. Em 2021, no Galo de novo, montamos uma equipe super competitiva, encaixamos as peças certas e conseguimos uma tríplice coroa”, lembrou o técnico.

Zapelli e Mastriani comemoram gol do Athletico contra o Operário
Furacão terá longas viagens e duelos decisivos na próxima semana. Foto: José Tramontin/Athletico

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Cuca terá sua primeira maratona de jogos pelo Athletico: “time grande é assim”

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.