*Atualizada em 05/02 às 16h26

Por decisão unânime, veto ao gramado sintético da Arena da Baixada foi derrubado em arbitral (Divulgação/Atlético)

O Atlético poderá seguir utilizando o gramado sintético na Arena da Baixada. No arbitral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), realizado na tarde desta segunda-feira (05), no Rio de Janeiro, todos os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro votaram para a retirada do veto, deliberado no arbitral do ano passado e que passaria a valer na edição deste ano. Piso só poderá ter proibido no Brasil por decisão da Fifa.

A restrição foi votada no congresso técnico de 2017, após proposta do ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda, e com 15 votos a favor da proibição e cinco contrários. Na ocasião, além do próprio Atlético, apenas Coritiba, Palmeiras, Sport e Bahia votaram a favor da utilização da grama sintética no país.

Caso a decisão fosse mantida pela CBF, o Furacão já havia prometido recorrer à Fifa, que libera o uso do piso artificial em todo o mundo, para tentar reverter a decisão votada pelos clubes no arbitral. A grama sintética é utilizada pelo Rubro-Negro desde 2016, depois de ter enfrentado diversos problemas com a manutenção do gramado natural na Arena da Baixada.

O Furacão foi representado na reunião pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, Mario Celso Petraglia, que está presente no Rio de Janeiro. Além da liberação no arbitral, o piso artificial não poderá mais ser proibido no Brasil, desde que não seja por decisão da Fifa.

Clubes poderão voltar a vender mandos de campo

Outra proibição que foi derrubada na reunião da CBF foi a de vendas de mando de campo no Campeonato Brasileiro. Com 14 votos a favor e seis contra, os clubes já haviam proibido que jogos fossem vendidos para outras cidades na reunião do ano passado, em medida que foi válida para a última edição do torneio nacional.

A liberação, no entanto, terá duas restrições: Os times só poderão atuar cinco vezes fora de seu estado de origem em suas partidas com mando no Campeonato Brasileiro e as trocas de locais serão proibidas nas cinco últimas rodadas da competição.