A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) confirmou há instantes a paralisação da primeira divisão do Campeonato Brasileiro. A decisão foi tomada para “colaborar com o povo gaúcho nessa drástica crise através de ações e iniciativas, sem prejuízo de outras que ainda serão desenvolvidas, caso necessário“, como diz a nota enviada pela entidade no final da tarde desta quarta-feira (15). A tomada de atitude de quinze clubes foi decisiva para a mudança de postura da CBF.

Até a terça (14), a Confederação Brasileira de Futebol tentava encontrar razões para não parar o Brasileirão. A tese, que era sustentada por São Paulo, Palmeiras, Corinthians, Flamengo e Bragantino, falava em criar mecanismos de apoio aos clubes gaúchos com a continuidade das partidas, inclusive oferecendo CT e estádios para Grêmio, Internacional e Juventude. Mas a ‘virada’ começou com a decisão da Liga Forte União, que foi unânime em defender a paralisação do campeonato.

Brasileirão parado

Com a entrada de Bahia e Vitória no grupo – eles estão na Libra -, eram três quartos dos participantes defendendo a interrupção momentânea do Brasileirão. E foi a decisão da CBF, que suspendeu as próximas duas rodadas do campeonato, dos próximos dois finais de semana. Desta forma, o Athletico fica sem jogar até o dia 29, quando fecha a primeira fase da Copa Sul-Americana diante do Sportivo Ameliano. O Brasileirão será retomado no dia 1º de junho.

Leia a nota oficial da CBF

Nos últimos dias, o Brasil se viu radicalmente afetado por uma tragédia ambiental sem precedentes na história, que impactou diretamente milhões de pessoas no Estado do Rio Grande do Sul e, por conseguinte, o futebol praticado no Brasil.

Nesse sentido, não se pode olvidar que o esporte e a sociedade caminham concomitantemente, não podendo se separar ainda mais em um momento tão difícil para a população brasileira.

Sendo assim, a CBF, como entidade nacional de administração do desporto, se solidariza com cada vítima desse evento catastrófico, ressaltando que está empreendendo todos os esforços, no âmbito nacional e internacional, que estão ao seu alcance para colaborar com o povo gaúcho nessa drástica crise através de ações e iniciativas, sem prejuízo de outras que ainda serão desenvolvidas, caso necessário.

Desse modo, após consultar os 20 clubes participantes da Série A do Campeonato Brasileiro e receber o pedido de 15 equipes pela suspensão da competição até o dia 27 de maio, a CBF reitera o compromisso público assumido de transparência e diálogo pela atual gestão e suspende as rodadas 7 e 8 do certame.

Os clubes que pediram a suspensão da competição são:

(1) Atlético ClubeGoianiense;

(2) Atlético Mineiro SAF;

(3) Club Athletico Paranaense;

(4)Criciúma Esporte Clube;

(5) Cruzeiro Esporte Clube SAF;

(6) Cuiabá EsporteClube SAF;

(7) Esporte Clube Bahia SAF;

(8) Esporte Clube Juventude;

(9) EsporteClube Vitória;

(10) Fluminense Football Club;

(11) Fortaleza Esporte Clube;

(12) Grêmio Football Porto Alegrense;

(13) SAF Botafogo;

(14) Sport ClubInternacional;

(15) Vasco da Gama SAF.

Tal decisão foi baseada também no pedido feito pela Federação Gaúcha de Futebol (FGF), que encaminhou e endossou o pleito dos seus clubes filiados.

A CBF informa também que a reunião do Conselho Técnico Extraordinária da Série A está mantida para o dia 27 de maio. Na conferência, os clubes vão deliberar sobre aspectos técnicos das competições bem como a situação de registro e transferência de atletas, questões jurídicas com relação aos acessos às competições internacionais como Libertadores, Sul-Americana e Mundial de Clubes e questões de direitos de transmissão e patrocínios.

Os presidentes das 10 federações com clubes envolvidos na competição também estão convidados a participar.”

Taça do Brasileirão
Taça do Brasileirão. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

CBF paralisa o Brasileirão por duas semanas

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.