Sem dificuldades, o Athletico faturou o bicampeonato paranaense. Neste sábado (6), o Furacão derrotou o Maringá por 3×0, na Ligga Arena, e como já havia vencido por 1×0 o jogo de ida, confirmou a conquista do título. Pablo e Fernandinho, de pênalti, no primeiro tempo, e Mastriani, nos minutos finais da segunda etapa, marcaram os gols.

Esta é a quinta vez que o Rubro-Negro conquista o Estadual por dois anos consecutivos. Antes, já havia alcançado a façanha em 1929 e 1930, 1982 e 1983, em 2000 e 2001 e 2018 e 2019. Porém, nestas duas últimas oportunidades acabou se tornando tricampeão, em 2002 e 2020.

Assim, o Athletico coroa o ano do centenário com pelo menos um título. O clube ainda tem pela frente Brasileirão, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana, competição pela qual volta a campo na próxima terça-feira (9), quando recebe o Rayo Zuliano, da Venezuela, na Ligga Arena

Primeiro tempo garantiu o título

Com uma atuação muito melhor do que a apresentada em Maringá, o Athletico dominou a partida desde o começo. Embora fosse um duelo truncado no meio-campo, com uma marcação forte da equipe do interior, o Furacão taticamente e tecnicamente era superior, chegando mais vezes ao ataque e criando boas chances.

Depois de perder chances com Esquivel e Canobbio, coube a Pablo abrir o marcador. Aos 26 minutos, ele tabelou com Christian e chutou da entrada da área. A bola desviou na marcação e ficou fora do alcance de Dheimison, que ainda tentou a defesa, mas viu a bola morrer nas redes. Foi o sétimo gol do camisa 92, artilheiro rubro-negro da competição.

Com o gol, só restou ao Maringá se expor mais e abrir espaços na marcação. Em um desses vacilos, Christian foi lançado e derrubado na área por Dheimison. Pênalti, que Fernandinho cobrou com categoria e ampliou ainda mais a larga vantagem.

Lance de Athletico x Maringá
Furacão não teve dificuldades na decisão. Foto: Geraldo Bubniak/AGB

Segundo tempo protocolar do Athletico

Com um placar agregado de 3×0, o Athletico se deu ao luxo de diminuir o ritmo da partida. Já o Maringá, foi para o tudo ou nada, tirando defensores para colocar jogadores de mais velocidade lá na frente. O resultado disso foi um Furacão com mais posse de bola, trabalhando as jogadas.

À medida que o tempo ia passando, os dois lados iam fazendo alterações. O Dogão tentando pressionar em busca do gol de honra, enquanto o Furacão rodava seu elenco, colocando peças que já foram titulares, como Mastriani e Zapelli.

E foi o uruguaio que fechou o placar, já aos 47 do segundo tempo, fazendo 3×0 e liquidando a partida, que acabou em comemoração na Ligga Arena

Ficha técnica

CAMPEONATO PARANAENSE
Final – Jogo de volta

ATHLETICO 3×0 MARINGÁ

Athletico
Bento; Léo Godoy (Madson), Thiago Heleno, Kaique Rocha e Esquivel; Fernandinho, Erick (Hugo Moura) e Christian (Zapelli); Canobbio (Alex Santana), Julimar e Pablo (Mastriani).
Técnico: Cuca

Maringá
Dheimison; Ronald, Tito e Gustavo Vilar; Marcos Vinícius (Iago Santana), Rodrigo, Zé Vitor, Morelli (Negueba) e Caíque (Mirandinha); Serginho (Júlio Rodrigues) e Bruno Lopes (Robertinho).
Técnico: Jorge Castilho

Local: Ligga Arena
Árbitro: Lucas Paulo Torezin
Assistentes: Bruno Boschilia e Victor Hugo Imazu dos Santos
VAR: Rodolpho Toski Marques (Fifa)
Gols: Pablo, 26, Fernandinho, 39 do 1º
Cartões amarelos: Erick, Alex Santana (CAP); Serginho, Marcos Vinícius, Julio Rodrigues, Zé Vitor (MFC)
Público total: 37.758 (36.692 pagantes)
Renda: R$ 1.368.240,00

Pablo e Fernandinho comemoram os gols do Athletico contra o Maringá
Pablo e Fernandinho marcaram os gols do Furacão na decisão. Foto: Geraldo Bubniak/AGB

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Na final, Athletico faz 3×0 no Maringá

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.