O Athletico chega a este domingo (9) depois de passar por uma semana quente. Mesmo sem jogos, a rotina do Furacão ficou agitada com a repercussão das três derrotas seguidas, para Danubio, Sportivo Ameliano e Fortaleza, pela Copa Sul-Americana e pelo Campeonato Brasileiro. Para dentro dos muros do CAT do Caju, muito trabalho e muita conversa. Para fora, especulações e a expectativa – praticamente uma obrigação – de um bom futebol na quinta-feira (13), diante do Criciúma, na Ligga Arena.

Com a normal restrição de informações do Athletico, o que normalmente seria uma blindagem passou a ser uma porta aberta para especulações. Nesta semana foram várias: descontentamento de jogadores com o técnico Cuca, uma “panelinha” que ditaria regras no vestiário, a insatisfação com a forma do Furacão jogar, questões pessoais entre treinador e alguns atletas, possíveis afastamentos ou demissões… Um cenário de agitação total.

Mas o que foi apurado pela Banda B é que há um descontentamento geral, mas com a queda de rendimento do Athletico nos últimos jogos. Os jogadores estão incomodados, Cuca está incomodado, a diretoria está incomodada. Houve conversas no vestiário, com o objetivo de ajustar as coisas para uma reação imediata. Após o jogo diante do Criciúma, o Furacão recebe o líder Flamengo no próximo domingo (16), às 16h, também na Arena.

Muitas cobranças no Athletico

Em cima deste descontentamento, houve também muita cobrança. Não apenas de comissão técnica e jogadores, mas o próprio elenco entre si e do presidente Mário Celso Petraglia com Cuca. A sensação no Athletico é que a reação tem que partir de dentro, com todos assumindo suas responsabilidades e tentando mudar o cenário atual, que é de más atuações e derrotas. Sabe-se que o clube vai ao mercado da bola, e o treinador reforçou o interesse em ver contratações, como de Erick Pulga, do Ceará, e Adam Bareiro, do San Lorenzo. Mas não será só isso.

O jogo-treino com o União São João, na sexta-feira (7) marcou uma tentativa de alteração tática profunda. Cuca voltou a testar o Athletico com três zagueiros, mas desta vez sem improvisações. Kaique Rocha, Thiago Heleno e Gamarra formaram a defesa, com Leo Godoy e Fernando nas alas. Com Fernandinho e Erick na marcação, Zapelli e Nikão não foram pontas, e sim armadores, abrindo o corredor para os laterais. E Mastriani foi o centroavante. A primeira impressão foi boa. Mas ainda há quatro dias até revermos o Furacão em campo para saber se as coisas voltarão a dar certo.

Cuca, técnico do Athletico.
Cuca testou uma variação do esquema com três zagueiros. Foto: Gustavo Oliveira/CAP

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Especulações, mercado fervendo, reuniões e mudança tática: a semana do Athletico

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.