Perto de completar 29 anos sendo o homem forte do Athletico, o presidente Mário Celso Petraglia admitiu pela primeira vez que não tem sucessor no clube. A declaração, dada na entrevista coletiva desta segunda-feira (27), na Ligga Arena, ajuda a explicar a aceleração dos planos de implantação da SAF do Furacão. Para o dirigente, não há ninguém no clube que possa seguir o processo de crescimento contínuo, e por isso está buscando no mercado o futuro gestor rubro-negro.

Na conversa com os jornalistas, Petraglia chegou a dar a receita da pessoa que queria ver o sucedendo no Athletico. “Um profissional com a minha experiência, com a minha disposição de tempo (…), que não se envolva em nenhum outro empreendimento, que se disponha e tenha vida economicamente resolvida. Que tenha condições de se dedicar de 12 a 15 horas por dia ao Athletico“, afirmou o presidente.

A frase seguinte escancarou a decepção do dirigente. “Realmente eu procurei sucessores, mas não encontrei”, completou. Mário Celso Petraglia assumiu a presidência do Athletico em maio de 1995, e de lá até aqui ocupou quase sempre cargos de comando no clube. Mesmo quando não tinha o posto, era quem decidia – como no período em que foi diretor de marketing do Furacão. Mas, de 2012 para cá, ele alterna entre os conselhos Administrativo e Deliberativo. Para a eleição de 8 de outubro, ele deverá ser reeleito por aclamação.

Athletico com gestão 100% profissional

A ausência de pessoas que continuem o projeto do Athletico é a principal razão da breve implantação da SAF. “Nós queremos blindar o clube de aventureiros. Queremos evitar que, por um descuido, a torcida tenha que escolher entre dois grupos de aventureiros“, disse Petraglia, que no entanto garante seguir normalmente nos próximos anos. “Eu vou continuar trabalhando daquilo que é extremamente estratégico”, garantiu o presidente.

Mas, como já acontece, o cartola não quer mais se envolver no dia a dia do Athletico. Como o futebol está já sob o comando de Alexandre Mattos (“ele só sai se quiser”, disse o dirigente sobre Mattos), a busca agora é de um gestor. “Estamos buscando um CEO que fique responsável pelas áreas administrativas do clube. Tenho trabalhado e buscado para estruturar o clube que não dependa exclusivamente do Mário Celso Petraglia”, finalizou Mário Celso Petraglia.

Mário Celso Petraglia, presidente do Athletico.
O presidente do Athletico quer um CEO vindo do mercado. Foto: Ernani Ogata/Código19

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Petraglia diz que não encontrou sucessores no Athletico

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.