A novidade no Athletico esperada na entrevista do presidente Mário Celso Petraglia não foi assim tão novidade. Em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira (27), na Ligga Arena, o cartola confirmou que não haverá bate-chapa na eleição do dia 8 de dezembro – informação trazida pela Banda B na última sexta-feira (24). A ideia de ‘oxigenação’ na gestão rubro-negra foi aceita depois de dias de negociação, mas foram fechadas dentro do cenário exigido por Petraglia.

Após a divulgação do manifesto do grupo “Atlético de Novo”, foram reiniciadas conversas sobre uma composição, que já havia sido discutida anteriormente. Nas primeiras conversas, Mário Celso Petraglia não queria ceder muito espaço, e os oposicionistas não queriam ter pouco espaço no Conselho Deliberativo do Athletico. Depois de novas conversas, que foram lideradas por interlocutores ‘independentes’ – de oposição, mas com bom trânsito com o presidente -, a união das correntes ganhou força. “Se a oposição

O obstáculo seguinte foi a definição dos nomes. A oposição pensou em 30 nomes que integrariam o ‘chapão’. Mas Petraglia não aceitou que fossem indicações fechadas, e quis ele mesmo definir os oposicionistas que passariam a estar dentro do Athletico. E foi o que aconteceu, e ainda com o número de novos conselheiros reduzido para dez. Entre os escolhidos, alguns com longa história dentro do clube, como o ex-vice João Alfredo Costa Filho, o médico Edilson Thiele, o advogado Gil Justen Santana, o empresário Guivan Bueno e a empresária Maria Júlia Fornea, filha do ex-vice Ennio Fornea Júnior. E também o advogado José Lúcio Glomb, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil.

Athletico e a saúde de Petraglia

No início da coletiva, Mário Celso Petraglia criticou as alegações que não teria condições para comandar o Athletico. “Foi muita conversa, muito tititi. A oposição colocou a questão da minha condição. Realmente tive problemas de saúde, e estou me recuperando. Mas estou aqui e estou bem para continuar vendo as coisas importantes do clube”. Ele reforçou que o ano teve boas notícias para o Furacão. “Passamos nove anos lutando contra o tripartite. Chegamos a um acordo e a dívida virou pó. Vendemos os naming rights da Arena. E ainda tivemos a criação da Liga“.

Ele admitiu problemas no planejamento. Para o presidente do Athletico, a saída de Luiz Felipe Scolari foi decisiva para a irregularidade no Brasileirão. “Ele não teve nem capacidade de me telefonar para dizer que estava saindo do clube“, lamentou Petraglia, que confirmou que o Furacão não contratou treinador pela inflação do mercado. “Os técnicos conhecidos estão cobrando salários altíssimos. O Felipão foi ganhar no Atlético-MG quatro vezes mais do que ganhava aqui“, resumiu. Para 2024, o cartola garantiu que o elenco será “extremamente competitivo”.

WhatsApp-Image-2023-11-27-at-17.10.18
Petraglia admitiu que passou por problemas de saúde nos últimos meses. Foto: Ernani Ogata/Código19

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Athletico não terá bate-chapa na eleição; oposição compõe com Petraglia

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.