Athletico foi superado pelo Boca Juniors na Baixada (Gabriel Machado/Agif/Estadão Conteúdo)

Com estádio cheio e volta da festa da torcida, o Athletico comandou o jogo, mas viu a sua situação complicar com a derrota para o Boca Juniors, por 1 a 0, na noite desta quarta-feira (24), na Arena da Baixada, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores da América. Em uma partida com boas chances rubro-negras, foi o estreante Mac Allister quem decidiu e deu a vantagem aos argentinos no mata-mata.

O duelo teve todos os ingredientes que a competição continental reúne. Diante de um adversário completamente diferente do goleado na primeira fase, por 3 a 0, na casa athleticana, o Furacão viu um Boca agressivo, mas cauteloso. O time paranaense teve boas chances, inclusive com um pênalti nos minutos finais, mas os argentinos saíram na frente.

A partida de volta acontece na próxima quarta-feira (31), às 21h30, na La Bombonera, em Buenos Aires, com o Furacão precisando vencer por dois ou mais gols de diferença para avançar às quartas de final da competição.

O jogo

Como manda a cartilha do mata-mata, os dois times fizeram um primeiro tempo aberto, mas também de forte marcação. Calejado pelo trauma da sua primeira passagem por Curitiba, o Boca Juniors começou o jogo sedento para resolver assustou duas vezes nos minutos iniciais com Mac Allister e Ábila, em rápido contra-ataque.

Tímido no jogo, o Athletico tentou desafogar a pressão inicial e mostrar o futebol agudo característico nos jogos em casa. Mas, diante de uma marcação forte, a saída para assustar foram os chutes de longe. Aos 18 minutos, Rony tentou de fora da área e a bola passou à esquerda. Mais tarde, aos 23, Bruno Guimarães avançou e buscou o ângulo, mas mandou raspando o travessão.

Como alternativa, o Furacão passou a buscar a manutenção da posse e adiantou a marcação para sair da arapuca argentina. Mas, um novo lance de desatenção, aos 30 minutos, por pouco não pôs a estratégia por água abaixo. Em ataque rápido e com vantagem numérica, o Boca avançou com Ábila, mas o atacante foi fominha e parou em ótima defesa do goleiro Santos.

O Rubro-Negro voltou a ameaçar somente na parte final do primeiro tempo, duas vezes com Nikão. Na primeira, aos 41, o chute raspou a trave. Mais tarde, aos 46, o camisa 11 tentou em cobrança de falta e mandou por cima.

O Athletico voltou para o segundo tempo com uma postura diferente do início do jogo e pressionou o Boca Juniors. Apesar de ter a bola e avançar no campo adversário, o Furacão assustou somente aos 18 minutos, em cabeceio de Marco Ruben que passou por cima do travessão. Pouco depois, aos 20, Bruno Guimarães arriscou da entrada da área e Andrada salvou no canto esquerdo.

Mas o castigo veio já na reta final de partida. Aos 37 minutos, Jan Hurtado ganhou no ataque e acionou Mac Allister, que bateu colocado e contou com desvio em Léo Pereira para marcar o gol argentino.

O Furacão ainda teve a chance do empate nos minutos finais, quando Rony invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Andrada. O árbitro Deniel Fedorczuk consultou o VAR e marcou a penalidade, mas Marco Ruben desperdiçou a cobrança e carimbou a trave, não conseguindo evitar o revés rubro-negro.

FICHA TÉCNICA
ATHLETICO 0X1 BOCA JUNIORS

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR).
Data: Quarta-feira, 23 de julho de 2019.
Horário: 21h30.
Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU).
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Miguel A. Nievas (URU).
Árbitro de vídeo: Andrés Rojas (COL).
Assistentes de vídeo: Cristian Garay (CHI) e Jhon Leon (COL).
Público e renda: 34.456 total | R$ 1.595.215,00.

Athletico: Santos; Jonathan, Léo Pereira, Pedro Henrique e Márcio Azevedo; Bruno Guimarães, Lucho González (Tomás Andrade) e Nikão (Bruno Nazário); Marcelo Cirino (Vitinho), Rony e Marco Ruben.
Técnico: Tiago Nunes.

Boca Juniors: Andrada; Weingandt, Goltz, Junior Alonso e Más; Nández, Marcone, Capaldo e Alexis Mac Allister (Reynoso); Mauro Zárate (Tévez) e Ramón Ábila (Jan Hurtado).
Técnico: Gustavo Alfaro.

Gol: Alexis Mac Allister (BOC) aos 37′ do segundo tempo.
Cartões amarelos: Bruno Guimarães (CAP); Andrada, Nicolás Capaldo, Paolo Goltz, Marcone e Ramón Ábila (BOC).