O Athletico segue demonstrando toda a sua força nesta temporada de 2023. Praticamente irretocável, o Furacão venceu o FC Cascavel no último sábado (1) por 2×1 – na bacia das almas – na ida da final do Paranaense. Mesmo em um jogo em que enfrentou problemas e a dificuldade de ter saído atrás do placar, o Athletico demonstrou toda a sua competência para vencer o adversário em sua casa e ir muito motivado para a disputa da Libertadores, o principal foco do clube neste ano.

O jogo disputado no oeste do estado foi mais uma perfeita união entre eficiência, alta confiança e recursos técnicos do Athletico. Foi essa harmonização que levou o clube para a decisão do Campeonato Paranaense de 2023 e que, muito provavelmente, lhe dará o título no próximo domingo (9). Mesmo quando sofreu o gol de Batatinha, o clube deu a saída de bola e já empatou. O que é isso? Eficiência. Simples. A marca do clube neste ano.

E quando Roque teve a bola do pênalti para dar a vitória, seria lógico que o gol sairia. E com o objetivo no estadual praticamente concluído, resta observar e analisar a maneira com que o Athletico de Paulo Turra levará esta sintonia às outras competições que, naturalmente, irão lhe exigir muito foco e entrega neste ano.

O Athletico é invencível?

Entre as efetividades individuais, compensações e trocas constantes de destaques (exceto Vitor Roque, este segue sendo o fenômeno atleticano), o Furacão está mais do que pronto para buscar o seu primeiro título de Libertadores.

O Athletico nunca esteve tão perto de conquistar esse objetivo e muito menos tão preparado para bater de frente com os gigantes sul-americanos.

O elenco de Paulo Turra tem o conhecimento geral do torneio, a experiência de encarar os piores árbitros, adversários e estádios e, assim, trilhar uma jornada rumo à grande decisão. E essa história começa a ser escrita na terça-feira (4), contra o Alianza Lima, fora de casa.

É lógico que, em algum momento desta temporada, o Athletico será derrotado. Afinal, o futebol também tem os resultados negativos em sua imensa caixa de possibilidades. Mas os jogos passam, as dificuldades vêm e vão e o Furacão segue passando por cima de tudo isso. Ainda não há a apresentação formal de um candidato que possa ser capaz de vencer este time de Paulo Turra. Pela disparidade técnica que existe, duvido muito que este time seja o Alianza Lima e pela vantagem, é ainda mais difícil que seja o FC Cascavel. O Furacão segue fazendo o seu trabalho e esta eficiência pode transformar o ano de 2023 no maior da história do clube.

Vitor Roque, atacante do Athletico.
Vitor Roque, o símbolo da superioridade do Athletico até agora. Foto: José Tramontin/CAP

* Lucca Marreiros é produtor do Esporte Banda B

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Quem vai parar o Athletico?

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.