A partir das 19h desta segunda-feira (26) será escrita uma nova página da história do Athletico. A reunião do Conselho Deliberativo do clube vai confirmar a mudança do nome do estádio de Joaquim Américo Guimarães para Mário Celso Petraglia. Apenas uma alteração radical de humor nos bastidores poderia alterar esta decisão – mas, mesmo após a mobilização da família de Joaquim Américo, o ambiente já está pronto para a formalização da troca.

Nos últimos dias, os descendentes diretos do fundador do Internacional e responsável em 1912 pelo aluguel da área em que hoje fica a Ligga Arena tentaram sensibilizar os conselheiros. Não foi em vão, pois as redes sociais foram tomadas de pedidos para que Joaquim Américo tenha seu nome mantido dentro do estádio do Athletico – mesmo que em um espaço menor. A família inclusive se reuniu com o presidente do Conselho Deliberativo, Aguinaldo Coelho de Farias, mas a mudança do nome da Arena está consolidada.

A rigor, já poderia ter acontecido antes, pois não é de hoje que os conselheiros querem homenagear Mário Celso Petraglia em vida. Mas, até agora, o presidente do Athletico recusava as sugestões com veemência. Como foi quando surgiu um movimento para erguer uma estátua do cartola dentro da Baixada. No entanto, até mesmo a discordância dele foi ‘atropelada’ agora, já que o grupo dentro do conselho que quer mudar o nome da Ligga Arena é cada vez maior.

A mudança no Athletico

A reunião extraordinária do Conselho Deliberativo do Athletico foi convocada na última segunda (19), com apenas a mudança do nome da Arena na pauta. Para trocar Joaquim Américo por Mário Celso Petraglia, é preciso alterar a redação do artigo 99 do Estatuto Social do clube. E isto acontece somente em reunião extraordinária e aprovação por dois terços ou mais dos conselheiros. Com isso, fica praticamente impossível uma judicialização do caso, como chegou a se aventar na semana passada.

Mário Celso Petraglia, 80 anos, comanda o Athletico com mão de ferro há 29 anos – exceção feita aos dois anos em que rompeu com o então presidente Marcos Malucelli. Sob a liderança do dirigente, o Furacão rompeu um processo de lento apequenamento e se tornou um dos principais clubes da América do Sul. Oficialmente, ele exerce a presidência pela quinta vez, mas mesmo quando não estava no poder de direito, esteve de fato. Nos últimos cinco anos, vem enfrentando seguidos problemas de saúde.

Ligga Arena, estádio do Athletico.
A tendência natural é que até o final desta segunda (26) a Arena mude de nome. Foto: José Tramontin/CAP

Comunicar erro

Comunique a redação sobre erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página.

Athletico vive dia histórico em mudança de nome de estádio

OBS: o título e link da página são enviados diretamente para a nossa equipe.