Furacão conquistou o título estadual sobre o Toledo (Geraldo Bubniak/AGB)

No aspirantes ou no principal, o Athletico segue vivendo um grande momento. O clube abriu este ano da mesma forma como fechou a última temporada, com uma conquista, confirmando o favoritismo e a melhor campanha no estadual. A conquista do bicampeonato paranaense veio nos pênaltis, sobre o Toledo, após vitória no tempo normal por 1 a 0, na tarde deste domingo (21), na Arena da Baixada.

Quem esperava um jogo tranquilo não saiu satisfeito. O adversário era o mesmo que o Furacão já havia aplicado 8 a 2 no estadual, mas o Porco endureceu o duelo, se defendeu bem e contou com mais uma atuação de cinema do goleiro André Luiz, grande destaque do time no campeonato.

O arqueiro foi responsável por conter o ataque rubro-negro quando o ferrolho defensivo deu espaços. E foi muito bem. Com três defesas importantes e ajuda da trave duas vezes, o time do oeste paranaense perdeu por 1 a 0 no tempo normal e levou a decisão para os pênaltis. Lá a brilhou a estrela do outro arqueiro, Léo, que defendeu uma cobrança e viu o Rubro-Negro ter 100% de aproveitamento nas cobranças para conquistar o título estadual.

O jogo

Precisando reverter a desvantagem, o Athletico se lançou para cima do Toledo e abriu o placar logo aos seis minutos. Matheus Rossetto cobrou falta da entrada da área, a bola desviou na barreira, tocou na trave e enganou o goleiro André Luiz para morrer no fundo das redes.

Com a igualdade no agregado levando a decisão para os pênaltis, o jogo ficou nervoso e o árbitro Rodolpho Toski Marques teve que intervir em duas confusões na área dos visitantes. Foi por lá, aliás, que o primeiro tempo aconteceu. Sem se expor para evitar um placar mais elástico do Furacão, a equipe do técnico Agenor Piccinin  tentou poucas vezes escapar em contra-ataque, mas não deu trabalho ao goleiro Léo.

Por outro lado, André Luiz teve que se esforçar para evitar o segundo do Athletico, que pressionou durante todo tempo. O arqueiro respondeu bem sempre que exigido e ainda operou um milagre, aos 39, para defender cabeceio de Marquinho. No lance seguinte, novo cruzamento na área e Erick carimbou a trave direita.

O Rubro-Negro encontrou dificuldade no segundo tempo diante de um retrancado Toledo, que se fechou atrás e por pouco não empatou logo no começo, aos sete minutos, em contra-ataque de Pacato.

Sem encontrar espaços pelo chão, restou ao Athletico buscar o caminho do segundo gol na bola aérea. E foi lá no alto que o ataque athleticano encontrou André Luiz. Aos 12, Poveda cabeceou na primeira trave e o goleiro fez mais um milagre. Aos 29, em mais um cabeceio, o camisa 1 segurou firme e evitou o gol.

Quando não foi pelas mãos do seu goleiro, o Toledo foi salvo pela trave. Aos 29, Lucas Halter apareceu livre após cobrança de escanteio e cabeceou no travessão. Éder também arriscou de longa distância, aos 32, e mandou por cima. O Porco ainda teve uma grande chance com Revson, do meio-campo, mas não conseguiu encobrir o goleiro Léo.

Título decidido nos pênaltis

Assim como foi nos dois turnos, o título do Campeonato Paranaense foi decidido nas penalidades. Os dois times começaram com bom aproveitamento e converteram todas as cobranças na série. Revson, Jonathan, Léo Teles, Guilherme Rend e Júlio Pacato converteram para o Toledo. Bergson, Poveda, Lucas Halter, Matheus Anjos e Marquinho mantiveram o bom aproveitamento pelo Athletico. Com a igualdade, a decisão foi para as cobranças alternadas. Adriano abriu para o Porco e Léo defendeu. Restou para o garoto Khellven, de apenas 18 anos, converter a sexta e dar o bicampeonato estadual para o Furacão.

FICHA TÉCNICA
ATHLETICO (6)1X0(5) TOLEDO

Local: Arena da Baixada.
Data: Domingo, 21 de abril de 2019.
Horário: 16h.
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR).
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Ivan Carlos Bohn (PR).
Público e renda: 29.160 total | R$ 640.040,00.

Athletico: Léo; Lucas Halter, Zé Ivaldo e Éder (Jaderson); Khellven, Matheus Rossetto (Matheus Anjos), Erick, Marquinho e Vitinho; João Pedro (Poveda) e Bergson.
Técnico: Rafael Guanaes.

Toledo: André Luiz; Everton, Eduardo Luiz, Fandinho e Matheus Duarte; Jonathan, Revson, Khevin (Adriano) e Júlio Pacato; Eduardinho (Léo Teles) e Marcelinho (Guilherme Rend).
Técnico: Agenor Piccinin.

Gol: Matheus Rossetto (CAP) aos 6′ do primeiro tempo.
Cartões amarelos: Marquinho, Bergson e Matheus Anjos (CAP); Everton, Matheus Duarte, Revson, Khevin e Eduardinho (TOL).