Durante a paralisação do futebol brasileiro devido à pandemia do novo coronavírus, a Banda B realiza diversas enquetes sobre Athletico, Coritiba e Paraná. No programa Balanço Esportivo, os integrantes da equipe de esportes escolheram as cinco piores contratações da história do Athletico.

Morro Garcia – atacante

Morro García. (Geraldo Bubniak/AGB)

O atacante Santiago Garcia foi o maior investimento da história do Athletico até 2009 pelo preço de R$ 6,2 milhões. Ele estreou com dois gols na vitória do Rubro-Negro por 2 a 1 sobre o Botafogo. Porém, não marcou nenhuma vez em 15 partidas e retornou para o Nacional, do Uruguai.

O clube uruguaio aceitou a volta do atacante, hoje no Godoy Cruz, da Argentina, e devolveu R$ 2 milhões que já tinham sido pagos pela diretoria athleticana.

Felipe Gedoz – meia/atacante

Felipe Gedoz. (Geraldo Bubniak/AGB)

Uma das maiores contratações mais caras da história do Athletico, Felipe Gedoz foi contratado pelo Athletico por € 1,5 milhão (cerca de R$ 5,2 milhões na cotação de 2017). Ele jogou apenas 33 partidas entre 2017 e 2018 com a camisa do Furacão. A última partida aconteceu na vitória por 3 a 0 sobre o Newell’s Old Boys, na primeira fase da Sul-Americana de 2018.

O contrato de Felipe Gedoz com o Athletico encerrou apenas em janeiro deste ano. No período sem jogar pelo Furacão, o meia/atacante treinou em separado no CT do Caju e foi emprestado para Goiás e Vitória.

Navarro Montoya – goleiro

Navarro Montoya. (Divulgação/Boca Juniors)

O goleiro Navarro Montoya, então com 40 anos, foi contratado pelo Athletico em 2006. O argentino foi contratado para suprir a saída de Diego, vendido para o Juventude, mas ficou na reserva de Cléber. Ele ficou menos de seis meses em Curitiba e jogou apenas três partidas.

Fran Mérida – meia

Fran Mérida. (Geraldo Bubniak/AGB)

Revelado pelo Barcelona e com passagens por Arsenal e Atlético de Madrid, o meia Fran Mérida foi contratado em 2013 e disputou apenas 16 partidas. Depois da eliminação na fase de grupos da Libertadores de 2014, o espanhol foi ‘rebaixado’ para o time de aspirantes e não jogou mais pelo Furacão.

Adriano – atacante

Adriano. (Geraldo Bubniak/AGB)

O atacante Adriano foi contratado pelo Athletico em 2014 para a disputa da Libertadores e saiu logo após a eliminação ainda na fase de grupos. O ‘Imperador’, que estava há dois anos afastado do futebol, jogou apenas quatro vezes no Rubro-Negro e marcou um gol.

Confira todos os votos*

MONIQUE VILELA – SETORISTA DO ATHLETICO

– Morro Garcia, atacante – Não precisa falar muito diante do que ele representou no clube.

– Grafite, atacante – Entra na lista das contratações que não deram certo.

– Felipe Gedoz, meia/atacante – Até 2017, ele tinha sido a maior contratação da história do Athletico.

– Adriano, atacante – Não teve tanto investimento, mas foi uma contratação de risco e não deu certo. Teve o lado de marketing, mas ficou na história negativa.

– Navarro Montoya, goleiro – Chegou aos 41 anos no Athletico e não deu certo.

FELIPE DALKE – REPÓRTER

– Morro Garcia, atacante – Foi muito caro na época e não rendeu. Só que era uma baita aposta do Athletico. Todo mundo no Brasil estava atrás do Martinuccio, mas me falaram que o cara bom no Uruguai era o Morro Garcia.

– Grafite, atacante – Veio para o Athletico depois de uma temporada maravilhosa no Santa Cruz e não jogou absolutamente nada. Fez apenas um gol.

– Adriano, atacante – Pelo nome do Adriano e pelo que se esperava dele em um clube. Não era uma aposta muito cara, o Athletico aproveitou a oportunidade e foi uma decepção gigantesca.

– Fran Mérida, meia – Categorias de base do Barcelona, jogou no Atlético de Madrid e veio com uma moral gigantesca. Não jogou nada e fez muita festa.

– Felipe Gedoz, meia/atacante – Uma das maiores contratações da história do Athletico. Ele não conseguiu ter uma sequência, teve problemas de parte física e de relacionamento.

LUIZ FERRAZ – REPÓRTER

– Morro Garcia, atacante e Felipe Gedoz, meia/atacante – Entram pelo critério do investimento alto feito pelo Athletico.

– Fran Mérida, meia – Chegou com uma grande expectativa e foi um jogador sempre com nota cinco para baixo.

– Abdullah Al Kamali, atacante – Ele chegou com grande cartaz e fez poucos jogos. Provou a fraca qualidade e pouco foi relacionado também.

– Navarro Montoya, goleiro – Era um goleiro muito ruim. Uma das piores contratações que lembro.

BRUNO ABDALA – REPÓRTER

– Morro Garcia, atacante – Gerou até uma confusão política danada pelo Athletico. Ele está atualmente no Godoy Cruz e marcando alguns gols. Morro Garcia foi contratado pelo ex-diretor de futebol Alfredo Ibiapina. Ele marcou dois gols na estreia contra o Botafogo e depois praticamente sumiu.

– Navarro Montoya, goleiro – Goleiro de 40 anos quando defendeu o Athletico. Era muito inseguro e saia muito mal nas bolas cruzadas.

– Maciel, atacante – Athletico fez um investimento em um jogador do Porto para a Libertadores de 2005 e um deles era o Maciel. Atacante que marcou alguns gols, mas entra na lista pela expectativa criada.

– Vanegas, zagueiro – Contratado no final de 2009. Em 2010, ele teve oportunidades com a camisa do Athletico, mas era muito inseguro e não teve boas atuações.

– Serna, atacante – Centroavante que se esperava muito, mas não deu certo. Ele foi contratado junto com o Vanegas.

PEDRO MELO – REPÓRTER

– Abdullah Al Kamali, atacante: primeiro jogador árabes da história do futebol paranaense. Ele foi uma aposta de Mário Celso Petraglia e jogou apenas três meses no Furacão. Atuou nas categorias de base, no time B e apenas uma vez na equipe principal.

– Lothar Matthaus, técnico: Contratado em janeiro de 2006 pelo Athletico, o alemão ficou menos de dois meses. Apesar do retrospecto de seis vitórias e dois empates, a passagem dele pelo Furacão foi um fiasco.

– Mirabaje, meia: contratado para a disputa da Libertadores de 2014. O meia, atualmente no Racing, do Uruguai, não agradou a torcida nos quatro meses em que jogou no Athletico. Depois da eliminação na Libertadores, o uruguaio foi ‘rebaixado’ para o time sub-23′ e não jogou mais no clube.

– Adriano, atacante: Com o ‘Imperador’ já em baixa, o Athletico apostou nele para a disputa da Libertadores de 2014. O atacante jogou quatro vezes e marcou apenas um gol com a camisa do Furacão. Rescisão aconteceu dias depois de faltar a um treinamento.

– Felipe Gedoz, meia/atacante: Uma das contratações mais caras da história do Athletico e não deixou nenhuma saudade. Jogou 34 vezes pelo Athletico, marcou nove gols e foi emprestado durante o período do contrato para Goiás e Vitória.

GREYSON ASSUNÇÃO – COORDENADOR DE ESPORTES

– Fran Mérida, meia

– Navarro Montoya, goleiro

– Felipe Gedoz, meia/atacante

– Nieto, atacante

– Morro Garcia, atacante

* Os atacantes Adriano, Grafite e Al Kamali empataram em quinto lugar. O voto de desempate foi do narrador Marcelo Ortiz.