Eduardo Barros justifica escolha por time misto na derrota para o Peñarol pela Libertadores. (Divulgação/Athletico)

Com um comando compartilhado, o Athletico de Paulo Autuori e Eduardo Barros, veio totalmente modificado para a partida contra o Peñarol, que terminou em vitória por 3 a 2 para os uruguaios, nesta terça-feira (20). Com a filosofia de priorizar o Campeonato Brasileiro, o Furacão produziu uma equipe sem homem referência no ataque.

Sobre o resultado negativo, mas que mesmo assim traz a classificação para as oitavas de final da Libertadores, Eduardo Barros falou em coletiva após o jogo sobre o rodízio de atletas, que seguindo ele foi necessário.

“A derrota nunca é um resultado calculado. Nós precisávamos rodar a equipe e era uma decisão muito clara, em virtude do acumulo de jogos que nós tínhamos pelo Campeonato Brasileiro, com pouquíssimo intervalo de recuperação entre eles. E esse momento, dada a nossa classificação antecipada na Libertadores, era um momento oportuno para uma nova rodagem e poder descansar alguns jogadores que estavam em uma sequência muito desgastante”, explicou Eduardo Barros.

Sobre o resultado da partida, que no encerramento do primeiro tempo, estava sendo positivo para o Athletico, que havia virado o jogo para 2 a 1, o treinador destacou que não acredita ser totalmente justo ao futebol rubro negro apresentado. “Nós viemos aqui e tivemos totais condições de termos um melhor resultado, que pelo nosso primeiro tempo, merecíamos ter saído daqui ao menos com um empate”, concluiu.

O Furacão agora aguarda o resultado do sorteio da Conmebol Libertadores, que será realizado na próxima sexta-feira (23), às 12h, pelo horário de Brasília. Com a segunda colocação no grupo C, o Athletico deve enfrentar um dos primeiros colocados da fase de grupos da competição.