Técnicos Athletico e Coritiba - BrasileirãoAthletico, de Paulo Autuori, e Coritiba, de Rodrigo Santana, precisam melhorar o desempenho para escaparem do rebaixamento. (Fábio Wosniak/Athletico e divulgação/Coritiba)

Athletico e Coritiba iniciam o segundo turno do Brasileirão com a preocupação de escaparem do rebaixamento para a Série B. De acordo com o matemático Tristão Garcia, do site Infobola, o número mágico para escapar da segunda divisão sem depender de outro adversário é 47 pontos.

Com apenas 16 pontos, o Athletico, que ainda tem um jogo atrasado do primeiro turno contra o Atlético-MG, precisa conquistar mais 31 para alcançar o número mágico. Ou seja, mais dez vitórias e um empate nos 20 jogos restantes, aproveitamento de cerca de 51%.

Já o Coritiba, que abre a zona de rebaixamento do Brasileirão, com 19 pontos, precisa somar mais 28 em 19 jogos para seguir na primeira divisão. A campanha tem que ser pelo menos de nove vitórias e um empate, aproveitamento de aproximadamente 49%.

Diferença na chance de rebaixamento

Se vencer o jogo atrasado contra o Atlético-MG, o Athletico iguala a pontuação do Coritiba, mas tem uma maior possibilidade no momento de cair para a segunda divisão. O matemático explicou o motivo da diferença mesmo com o Furacão com um jogo a menos.

“O risco de rebaixamento dos dois é muito alto. O Athletico tem 16 pontos em 18 jogos e com risco de 73%. Já o Coritiba tem 43%. Por que a diferença se tem um jogo atrasado? Jogo a fazer é esperança e jogo realizado é realidade”, afirmou Garcia.

Possibilidade de vaga na Sul-Americana

Já o departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) também cita a chance de classificação da dupla Athletiba para a Sul-Americana. O Coritiba tem 20% de possibilidade de garantir vaga na competição internacional, e o Athletico possui 9%.