Por Esporte Banda B

Teliana participou do torneio da chave. (Cristiano Andújar/CBT)Teliana participou do torneio da chave. (Cristiano Andújar/Brasil Tennis Cup)

Número 1 do país, Teliana Pereira conheceu sua adversária da estreia do WTA de Florianópolis 2015, realizado nas quadras de saibro do Costão do Santinho Resort, em Florianópolis, entre os dias 25 de julho e 1 de agosto. A entrada para o público é gratuita.

Designada como cabeça de chave 4, Teliana encara a argentina Maria Irigoyen, 152 do ranking, na próxima terça-feira, ainda sem horário definido. As duas já se enfrentaram duas vezes, com uma vitória para cada lado. Em 2011, Irigoyen levou a melhor no saibro de Campobasso, na Itália. No ano passado, a brasileira venceu nas quadras rápidas de Hobart, na Austrália.

“Já conheço ela há muito tempo do circuito. Sempre jogamos vários torneios juntos, mas só jogamos duas vezes uma contra a outra. É uma jogadora muito raçuda, os pontos vão ser muito longos. O mais importante é eu estar bem em quadra. Não quero criar expectativas, é só simplesmente entrar na quadra, jogar o meu melhor e sair com a vitória”, analisou a brasileira.

Teliana vive a melhor temporada de sua carreira. Em abril, ela conquistou seu primeiro título nível WTA em Bogotá, na Colômbia. Na ocasião, o torneio foi disputado em quadras de saibro, especialidade da pernambucana, que comemorou a mudança de piso do Brasil Tennis Cup.

“Estou super feliz que vai ser no saibro. Não só eu, mas como as outras brasileiras também. A gente tem o costume de jogar mais no saibro do que na rápida. Mas não adianta criar muita expectativas. Claro que é muito legal jogar no Brasil, mas é encarar jogo a jogo e deixar o jogo fluir”, afirmou.

A número 1 do Brasil aproveitou para comentar também sobre a importância de um evento deste porte para o tênis feminino do país e como contribui para o progresso técnico das tenistas brasileiras. “É importantíssimo (ter seis brasileiras jogando a chave principal). Para o público que vem, poder prestigiar as brasileiras. Isso ajuda muito no tênis feminino, a gente está precisando disso. Ter um torneio deste porte, torneio grande, é uma oportunidade incrível de as meninas estarem acompanhando as melhores, jogando com elas e isso faz com que o jogo cresça ainda mais”, falou.

Convidada da organização, a catarinense Nanda Alves estreia contra a alemã Tatjana Maria, principal favorita ao título. A paulista Paula Gonçalves encara a paraguaia Veronica Cepede Royg. A gaúcha Gabriela Cé enfrenta uma jogadora vinda do quali. Luisa Stefani joga contra a romena Ana Bogdan, enquanto Carol Meligeni Alves duela contra a alemã Annika Beck, cabeça de chave 3.